VerdeFam tem deixado “uma marca positiva” na sociedade cabo-verdiana – directora (c/áudio)

Cidade da Praia, 24 Mar (Inforpress) – A directora executiva da VerdeFam considerou hoje que a instituição tem deixado “uma marca positiva” na sociedade cabo-verdiana, e apelou a todos os voluntários a continuarem a ser “activistas e defensores” dos direitos da saúde sexual reprodutiva.

Elisabete Xavier Jesus fez estas constatações, em declarações à Inforpress, quando fazia o balanço dos 24 anos de existência da Associação Cabo-verdiana para a Protecção da Família (VerdeFam), tendo afirmado que a instituição encontra-se há 24 anos a promover a família e a saúde sexual reprodutiva na sociedade cabo-verdiana.

“A VerdeFam tem deixado a sua marca positiva na sociedade civil cabo-verdiana, e apelo que as pessoas continuem a ser voluntários, colaborarem e a serem activistas desta causa que defendemos, mas também na angariação de mais meios técnicos e financeiros sendo que são necessários alcançarmos e atingirmos os resultados”, considerou.

No seu entender, cada pessoa tem um pouco a dar a nível da cidadania, através da promoção dos direitos e o acesso aos serviços de saúde sexual reprodutiva, de modo a que o país tenha uma sociedade mais saudável.

Entretanto, assegurou que, no âmbito das actividades comemorativas dos 24 anos de criação da instituição, está prevista a realização de um workshop segunda-feira, 25, sobre “Os direitos e a saúde sexual reprodutiva”, que irá juntar parceiros, amigos, voluntários e associações comunitárias.

Segundo Elisabete Xavier Jesus, a ideia é promover um amplo debate sobre as orientações teóricas e práticas que devem servir de base para a abordagem dos direitos da saúde sexual reprodutiva, ao mesmo tempo partilhar experiências, acções e intervenções a volta desta temática.

Para a directora executiva da VerdeFam, é preciso dar mais visibilidade aos problemas de saúde sexual reprodutiva, fortalecer as relações e uma maior articulação e cooperação entre todos os intervenientes desta área.

“Iremos debater também o painel “O cancro e a saúde sexual reprodutiva, porque pensamos que neste momento está questão e problemática é algo que atinge a todos e precisamos estar mais informados, promovendo acções de modo a termos uma sociedade mais saudável”, precisou.

Na ocasião, mostrou-se confiante de que ao longo desses 24 anos de existência a VerdeFam conseguiu atingir e alcançar os seus objectivos prestando serviços no domínio da saúde sexual e reprodutiva aos adolescentes, jovens, mulheres e homens.

A VerdeFam é uma ONG que exerce as acções para a protecção da família, através de prestação de serviços no domínio da saúde sexual e reprodutiva, vocacionadas para adolescentes, jovens, mulheres e homens sempre em parceria público/privado, respeitando os direitos humanos como princípio orientador fundamental, em que todos têm igual direito de escolha e acesso aos serviços de saúde e de bem-estar, sem preconceitos nem discriminação.

AV/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos