US promove Congresso Internacional em Ciências Empresariais para partilha do conhecimento

Cidade da Praia, 07 Nov (Inforpress) – A Universidade de Santiago (US) promoveu hoje o Congresso Internacional em Ciências Empresariais para partilhar conhecimentos com os estudantes, docentes e investigadores, contando com a participação de várias universidades cabo-verdianas, de Portugal e do Brasil.

Segundo a coordenadora deste evento, Ana Suzete Semedo, o propósito deste congresso, que decorre sob o lema “Estado e mercado num mundo em transição: desafios e perspectivas”, visa proporcionar a interação, partilha e discussão dos trabalhos de investigação, bem como, promover encontro com estudantes para informarem melhor sobre esta área com os diversos especialistas.

“O desenvolvimento de qualquer país depende da partilha do conhecimento. E para que Cabo Verde seja sustentável futuramente ao nível da sociedade cultural, é importante que haja essa partilha de conhecimento e apostarmos na ciência. Neste sentido, trazemos autores e investigadores de universidades nacionais e internacionais para fazer esta troca de experiências e conhecimentos”, vincou.

Ana Suzete Semedo destacou ainda que Ciências Empresariais é uma área “muito relevante”, pois engloba várias áreas e sublinhou que muitos jovens estão interessados em fazer o curso nesta área, por isso a ideia é realizar todos os anos um Congresso deste género, com ideias e sugestões novas que saem de cada evento.

Por seu lado, o empresário e administrador da Universidade de Santiago, José Luís Mascarenhas Monteiro, afirmou que este congresso é de facto uma forma de “contagiar positivamente” a comunidade académica, garantindo que com os “inputs” desta troca de conhecimentos o sector empresarial ficará “mais forte” porque terão também profissionais mais competentes no futuro.

Por outro lado, este empresário considerou que há um interesse “muito grande” dos jovens na procura desta área, mas que há desafios na saída dos mesmos para o exterior à procura de uma vida melhor.

Neste sentido defendeu que é preciso arranjar vantagens e factores competitivos para atrair novos jovens, sobretudo os que estão fora do país para “repor a quantidade e qualidade” de recursos humanos.

“Cabo Verde pode trazer jovens que estão fora do país, mas que não tem ilusão e que querem voltar ao país”, acrescentou, assegurando que o sector empresarial está “pronto e preparada” para receber estes novos colaboradores que no seu entender pode “reforçar” a competitividade da economia cabo-verdiana.

No entanto, José Luís Mascarenhas Monteiro deixou uma mensagem de “muita esperança e de grande capacidade empreendedora” aos jovens, lembrando que muitos confundem empreendedorismo com a criação de empresas, mas disse que empreendedorismo é uma atitude para criar valor.

O estudante da US Anilson Lopes disse que é com “muito agrado” que está a participar neste evento, porque, segundo explicou, é empreendedor na área de hotelaria, por isso achou pertinente participar para adquirir mais conhecimentos e tirar algumas dúvidas, uma forma de abrir outro campo para os jovens, sintetizou.

Este estudante e empreendedor apresentou uma das maiores preocupações e queixas dos jovens empreendedores deste país que é conseguir financiamento para colocar em prática o seu projecto.

“Existe muitos jovens empreendedores em Cabo Verde, com ideias brilhantes, mas não avançam por causa de financiamento e apoios técnicos, na elaboração de projectos”, frisou, apelando o Governo para ver esta situação sobretudo junto dos bancos

DG/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos