União Europeia já financiou mais de 12 projectos-piloto na área do turismo inclusivo e sustentável

Tarrafal, 27 Set (Inforpress) – A União Europeia (UE) já financiou, desde 2015, mais de 12 projectos-piloto na área do turismo inclusivo e sustentável que cobriram quase todas as ilhas do País, revelou hoje a embaixadora da UE em Cabo Verde, Carla Grijó.

Carla Grijó avançou estes dados durante a sua intervenção na conversa aberta subordinada ao tema “Políticas Públicas e Cooperação Internacional para o Turismo”, sem, no entanto, precisar os valores.

O evento foi promovido pelo Governo, através do Ministério do Turismo e Transportes, em parceria com a Câmara Municipal do Tarrafal, e o Instituto do Turismo de Cabo Verde, no âmbito do Dia Internacional do Turismo, assinado hoje, sob lema “Turismo para o Crescimento Inclusivo”, cujo acto central teve como palco o município do Tarrafal de Santiago.

De entre os projectos, a diplomata destacou o de redes de turismo criadas na ilha de Santo Antão, eco-turismo no Fogo, e turismo solidário e comunitário no Maio.

“A aprendizagem que temos feito com estes projectos tem nos levado a ter um papel cada vez mais activo no sector do turismo (…)”, concretizou a embaixadora da UE em Cabo Verde.

Ainda sobre projectos turísticos, Carla Grijó lembrou que a UE assinou recentemente um programa de investimento com a ilha do Maio – o “Maio 2025” – que, segundo ela, incide em quatro pilares fundamentais, o turismo verde e criação de emprego, energias renováveis, acesso generalizado à água e ao saneamento, e economia azul.

“A pandemia de covid-19 torna programas como o “Maio 2025” ainda mais relevantes, face aos consensos quanto à necessidade de inventarmos modelos económicos e uma consciência crescente em Cabo Verde como na Europa da importância de promovermos modelos sustentáveis”, defendeu a diplomática.

O programa de desenvolvimento territorial “Maio 2025” conta com a contribuição europeia no montante de 3 milhões de euros e prevê a criação de um Centro de Negócios na ilha, a qualificação profissional de jovens, acções de conservação ambiental e o reforço da sensibilização e educação na adolescência, entre s outras acçóes.

No seu entender o programa como “Maio 2025” deve ser replicado noutras ilhas e municípios, onde existe esse potencial turístico.

Na ocasião, lembrou que a UE iniciou, este ano, um “novo ciclo”. no âmbito da sua parceria estratégica com Cabo Verde, que está centrada na retoma económica e que a diplomata espera que se baseie num modelo “mais verde e mais inclusivo”.

FM/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos