Tuberculose: Dados provisórios Ministério da Saúde referem a registos de 201 casos em 2018

Cidade da Praia, 23 Mar (Inforpress) – Cabo Verde, segundo dados provisórios do Ministério da Saúde registou 201 casos de tuberculose em 2018, menos 56 que o ano de 2017 em que a notificação foi de 257 casos, avançou hoje à Inforpress o director do PNLTL.

Segundo o director do Programa Nacional de Luta contra a Tuberculose e Lepra (PNLTL), Jorge Noel Barreto, que falava em declarações à Inforpress no âmbito do Dia Mundial da Tuberculose, que se assinala a 24 de Março, o país pode alcançar a meta de “extinguir a tuberculose” se conseguir manter os progressos alcançados face a doença.

Manter os progressos alcançados, conforme realçou este especialista em infecciologia, é continuar a garantir o diagnóstico precoce às pessoas, o tratamento gratuito e trabalhar com as populações mais vulneráveis.

“O país tem seguido as recomendações quanto aos indicadores a nível internacional e o nosso rácio é de 37 casos por cem mil habitantes”, disse.

O responsável pelo programa PNLTL, lembrou ainda, que o país estabeleceu no Plano Estratégico de Luta contra Tuberculose em 2015 uma média de 300 casos por ano.

Por isso, sublinhou, ter um registo de 201 casos num ano indica que o país tem cumprido no que tange a melhoria de condições de vida das pessoas e de acesso a determinados serviços.

“É claro que, também o trabalho que vem sendo feito pelo Ministério da Saúde em termos de disponibilizar tratamentos gratuitos e melhorar as condições de diagnóstico, tem permitido investigação de casos e tratamento adequado, reduzindo a propagação da doença”, realçou.

O arquipélago registou 257 casos de tuberculose (TB) de todas as formas em 2017, 255 em 2016, 270 em 2015 e 290 em 2014.

A passagem desta efeméride que é assinalada este ano sob o lema “É hora de agir. Fim da Tuberculose”, serve para lembrar que o cumprimento dos compromissos assumidos pelos chefes de Estado em Setembro de 2018, na Primeira Reunião de Alto Nível da Assembleia Geral das Nações Unidas sobre tuberculose.

Acabar com a epidemia global de tuberculose é uma das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), sendo que a estratégia da OMS contra a doença, adotada pela Assembleia Mundial da Saúde em 2014, visa reduzir em 90% as mortes e a incidência da doença em 80% até 2030, em comparação com os níveis de 2015.

Três metas intermediárias também foram estabelecidas para 2020: reduzir as mortes por tuberculose em 35%, reduzir a taxa de incidência de TB em 20% e garantir que as famílias afectadas pela doença não enfrentem altos custos de tratamento para a doença.

Este ano a OMS publicou novas orientações para melhorar o tratamento da tuberculose multirresistente (MDR-TB), recomendando a mudança para regimes totalmente orais, visto que os medicamentos injectáveis não são mais considerados prioridade no desenho de regimes de tratamento contra a TB.

A TB está entre as doenças infecciosas que mais mata no mundo, com 500 vidas perdidas por dia, sendo que a maior carga é suportada pelas comunidades que enfrentam desafios socioeconómicos e pessoas que trabalham e vivem em locais de alto risco, mais pobres e marginalizados.

A tuberculose é uma doença infecto-contagiosa causada pelo Mycobacterium tuberculosis, bactéria conhecida, também, como Bacilo de Koch. A doença atinge os alvéolos pulmonares, onde desenvolve uma reacção inflamatória, que pode evoluir para a cura, passando até despercebida, se o paciente tem boa resistência física.

PC/FP

Fim/Inforpress

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos