Teatro: Grupo teatral Fladu Fla leva “Homem, Eterno Prisioneiro” ao Festival Internacional do Cazenga em Angola

Cidade da Praia, 12 Jul (Inforpress) –  A companhia de teatro Fladu Fla sobe ao palco da 14ª edição do Festival Internacional de Teatro do Cazenga em Luanda (Angola), este domingo, 14   com a peça teatral “Homem, Eterno Prisioneiro”.

Segundo informou hoje à Inforpress o presidente da companhia, Sabino Baessa, o grupo que já está a caminho de Luanda é composto por duas atrizes e um actor, nomeadamente, Nancy Marins, Edla Barros e Álvaro Cardoso.

“Na mala, Fladu Fla leva a peça de teatro “Homem, Eterno Prisioneiro”. Os mangolês da banda que se preparem porque o limite de Fladu Fla é o infinito, por isso, numa simbiose entre a teoria da criação e a teoria da evolução das espécies encontra-se o homem numa luta incansável pela sobrevivência e na conquista pela sua liberdade”, lê-se na pagina do grupo.

Sob o lema “Juventude, arte e cidadania: O futuro nas nossas mãos”, de acordo com informações da organização, na sua página, na internet, nesta edição, participam grupos de Angola, da África do Sul, Brasil, Moçambique, Cabo Verde, Portugal e Estados Unidos.

O objectivo, explicou Felismina Sebastião, directora da Festeca, é incentivar a partilha e enaltecer a diversidade como factor de unidade dentro do teatro, através de debates e encontros entre encenadores, directores e actores dos vários grupos convidados desta edição.

Este ano, a direcção do festival, organizado pela Associação Globo Dikulu, distinguiu a dupla cómica KK (Kunda & Kapuete), composta por Julião Correia e José Gonga, pelo contributo dado, durante vários anos, ao crescimento do teatro, em particular no Cazenga.

AM/FP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos