Tarrafal: MpD preocupado com empréstimo de 280 mil contos da câmara no fim do ano económico

Cidade da Praia, 24 Nov (Inforpress) – O líder da bancada do MpD na Assembleia Municipal de Tarrafal de Santiago manifestou-se hoje “preocupado” com um empréstimo de 280 mil contos que a autarquia tarrafalense pretende fazer no fim do ano económico.

Em conferência de imprensa, Emanuel Landim explicou que no dia 23, a bancada do Movimento para a Democracia (MpD) recebeu uma convocatória da Assembleia Municipal do Tarrafal sobre o agendamento de uma sessão extraordinária solicitado pelo presidente da câmara, José dos Reis.

A sessão extraordinária, segundo frisou, vai ser na segunda-feira, 27, e tem como único ponto de agenda a autorização para que a câmara municipal, gerida pelo Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), vá ao banco fazer um empréstimo no valor de 280 mil contos.

Explicou ainda que no mês de Agosto, deste ano, a Assembleia já tinha aprovado uma outra autorização de empréstimo, pedido pela Câmara Municipal, junto da Bolsa de Valores e cujo montante era de 280 mil contos.

“A nossa bancada está surpresa porque o valor é muito alto e a câmara ainda não apresentou nenhum justificativo e garantia de qual será o destino deste empréstimo a ser realizado no fim do ano civil e económico e a um mês do fim do ano 2024”, acrescentou, argumentando sobre qual a urgência para tal pedido, qual a sua finalidade, em que projectos será investido e em que banco será feito o empréstimo.

Face a esta situação, Emanuel Landim questionou ainda o presidente da câmara, José dos Reis, sobre qual a real situação da dívida do município neste momento.

“Tudo leva a querer que esta iniciativa, inesperada, surgiu de noite para dia, sem nenhuma análise profunda da situação financeira do município, que conforme se sabe está frágil devido a gestão danosa que tem estado a fazer escola na Câmara Municipal do Tarrafal, onde o actor principal é José dos Reis”, asseverou.

O MpD argumentou também sobre a possibilidade de se executar um montante tão alto de dinheiro em menos de nove meses, tendo em consideração que a lei eleitoral estabelece prazo para execução de empreitadas, obras e inauguração durante o período eleitoral.

Neste âmbito, os eleitos municipais do MpD em Tarrafal de Santiago solicitam explicação sobre obras estruturantes e iniciativas que o presidente pretende levar a cabo com a quantia emprestada, uma vez que o plano de actividades de 2023 já está cumprido e o de 2024 ainda nem foi elaborado.

“Num intervalo de três meses esta câmara solicitou um empréstimo no valor de 560 mil contos”, assegurou, enfatizando que a câmara liderada por PAICV “já perdeu rumo, está desnorteado e quer hipotecar Tarrafal e o seu futuro”.

PC/CP

Inforpress/fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos