Tarrafal de Santiago: Bancada do PAICV avalia negativamente relatório de actividades da autarquia relativo a 2018

Tarrafal, 06 Abr (Inforpress) – Os eleitos municipais do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição) avaliaram hoje “negativamente”, o relatório de actividades da Câmara Municipal do Tarrafal referente ao ano económico de 2018.

Em declarações à imprensa, o líder da bancada do PAICV, Ronaldo Cardoso, disse que o seu partido faz uma apreciação negativa do relatório de actividades e da conta gerência de 2018, porque, de entre as várias actividades programas, a maioria não foi cumprida.

Para ele, as actividades levadas a cabo pela edilidade não têm ajudado “em nada” na melhoria de condições de vida da população do Tarrafal, mas segundo disse, também avalia negativamente o desempenho desta equipa camarária.

Prova disso é que segundo o eleito municipal os tarrafalenses saíram à rua em Janeiro último para demonstrarem o seu desagrado face ao desenvolvimento daquele município do interior de Santiago.

Reabilitação de moradias por concluir e famílias beneficiadas a viverem em casa ao “céu aberto” acto que considerou de “desumano”, pouco investimento nos sectores da agricultura, pesca e na educação [transporte escolar], são algumas das actividades que segundo Ronaldo Cardoso não foram cumpridas pela autarquia.

O líder da bancada do Movimento para a Democracia (MpD, poder), Marcelo Correia, por seu lado, disse que o seu partido faz uma apreciação positiva do relatório de actividades, que segundo ele comparativamente ao ano de 2017 (62%) teve um aumento de execução orçamental a volta de 10% e com um plano de actividade que reflecte o investimento municipal em todas as localidades.

Conforme esclareceu, investimento não é somente obras, mas que há investimento no capital humano, onde na conta gerência consta um aumento de 20 mil contos referente ao benefício social, que “dá uma grande satisfação”.

 

Entretanto, reconheceu que as realizações estão ainda aquém do desejado, tendo instado a câmara a trabalhar ainda mais, para que se possa combater a pobreza, que no seu entender é um desafio que ultrapassa a dimensão da edilidade.

Por sua vez, o presidente da Câmara Municipal do Tarrafal, José Nunes Soares, disse que apesar dos dois anos seguidos de seca, cumpriram 72 por cento (%) das realizações previstas, razão que o leva a afirmar que o balanço é positivo.

De entre as realizações, destacou obras realizadas no âmbito do plano de emergência [requalificação urbana], empoderamento de dezenas de famílias, reforço do abastecimento de água, rede de esgotos, projectos sociais “estruturantes”, mormente Horta Familiar, Centro Municipal de Cuidados “Graciosa”, continuação na aposta na educação, formação e empreendedorismo para juventude.

 

Lembrou ainda, que em 2018 deram empregos ajudaram agricultores e criadores de gado e ainda que reabilitaram casas.

A sexta sessão ordinária da Assembleia Municipal serviu também para a deliberação sobre o contrato de cedência do restaurante Baía Verde e anexos ao Manuel Gonçalves Barreto que foi aprovada com oito votos do MpD e seis abstenções do PAICV.

No momento da votação foi aplicado a lei, em que três eleitos municipais saíram da sala por terem algum grau de parentesco com o beneficiário, sendo um do PAICV e dois do MpD.

FM/FP

Inforpress/Fim

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos