Tarrafal de Monte Trigo: Produtores do inhame voltam a pedir levantamento parcial do embargo

Porto Novo, 29 Set (Inforpress) – Os produtores do inhame no Tarrafal de Monte Trigo, Porto Novo, Santo Antão, insistiram hoje na necessidade de o Governo levantar, parcialmente, o embargo imposto há quase 40 anos aos produtos agrícolas de Santo Antão.

Os produtores alegam o facto de Tarrafal de Monte Trigo, um dos maiores produtores do inhame em Cabo Verde, com um produção anual de 700 toneladas, não ser afectado pela praga dos mil-pés, que levou, em 1984, as autoridades cabo-verdianas a decretarem o embargo aos produtos agrícolas de Santo Antão.

O porta-voz dos produtores do inhame, Analides Évora, entende que há condições para o Governo permitir a exportação deste produto para mercados nacionais, designadamente para Santiago, já que Tarrafal de Monte Trigo é um vale livre dos mil-pés.

Ademais, existe no município do Porto Novo um centro de expurgo para tratamento e embalagem dos produtos por forma a serem exportados sem riscos de transportar a praga.

Os produtores têm manifestado o desejo de colocar o inhame na ilha de Santiago, onde um quilograma do produto custa entre 700 escudos e 900 escudos, contra 100 e 150 escudos em Santo Antão e São Vicente, respectivamente.

Produtores de outras zonas ainda livre desta praga, como Martiene e Chã de Norte, reclamam, também, a abertura do mercado para os produtos agrícolas destas localidades, onde se cultiva, preferencialmente, a batata comum.   

No caso de Martiene, considerado o maior produtor de batata comum na ilha de Santo Antão, com mais de um milhar de toneladas por ano, o representante dos agricultores, Januário Cruz, diz que os produtores enfrentam, todos os anos, dificuldades para vender a safra.

No caso do inhame, o Ministério da Agricultura e Ambiente está a implementar no Tarrafal de Monte Trigo um projecto de reforço de produção que beneficia, directamente, 32 produtores, com construção de reservatórios, criação de novas parcelas e instalação de rega gota-a-gota.

O projecto inclui ainda a montagem de um centro pós-colheita e de transformação.  

JM/HF

Inforpress/Fim        

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos