Sindicatos de professores estimam mais de 95% de adesão à greve e prometem novas formas de luta

Cidade da Praia, 23 Nov (Inforpress) – Os sindicatos estimam que a adesão à greve nacional dos professores e educadores realizada na quarta-feira e hoje superou os 95% a nível nacional, resultando também na paralisação de mais de 95% das escolas do país.

Num balanço feito esta tarde à Inforpress, o Sindicato Nacional dos Professores (Sindep), liderado por Jorge Cardoso, e o Sindicato Democrático dos Professores (Sindprof), liderado por Lígia Herbert, afirmaram que o nível de adesão não deixa dúvidas de que os professores e educadores não toleram a forma como são tratados pelo Ministério da Educação.

Segundo Jorge Cardoso, os professores responderam ao pé da letra ao Governo já que a adesão dos associados do sindicato foi de “mais de 90% a nível nacional”.

“Estamos abertos ao diálogo, mas se isso não acontecer vamos antes fazer uma avaliação, a nível nacional da greve realizada, e só depois determinaremos os próximos passos”, disse, ressaltando que os professores estão determinados a lutar “até as últimas consequências”.

Para Lígia Herbert os dois dias de greve mostraram, claramente, que os professores atingiram um patamar “inimaginável” já que a adesão dos seus associados foi de “quase de 100% de Santo Antão à Brava”.

“O professor quer mudança e dignidade e, por isso, aderiram em massa, pelo que nós, o Sindprof, estamos satisfeitos com esta entrega dos docentes”, referiu, acrescentando que o sindicato está sempre aberto a negociações, “desde que seja aceitável para a classe”.

Neste âmbito, afirma esperar que do lado do Governo haja boa fé e que caso isso não aconteça partirão para outras formas de luta, que podem ser congelamento de notas.

Lígia Herbert alertou os associados do Sindprof que “a luta continua” e garantiu que o sindicato irá cobrir monetariamente os dois dias de greve.

A greve dos professores que arrancou a nível nacional na quarta-feira, 22, e terminou esta quinta-feira, deveu-se ao não entendimento nas negociações sobre as reivindicações da classe entre os sindicatos e o Governo.

PC/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos