São Vicente: Seminário para micro e pequenas empresas marcado pela fraca participação de empresários e empreendedores

Mindelo, 12 Dez (Inforpress) – O seminário realizado hoje, no Mindelo, pela Facetur sobre “Como gerir o meu negócio” direccionado às micro e pequenas empresas que participam da feira para este sector ficou marcado pela fraca presença de empresários e empreendedores.

Segundo o responsável pela logística na Facetur, Edmilson Fonseca, o evento realizado pretendia promover alguns temas para auxiliar e promover conhecimento às empresas para terem um “grande futuro”.

Neste sentido, conforme a mesma fonte, foram pautadas para o debate alguns temas, entre os quais, “Como financiar o meu negócio”, “Promover para vender” e “A importância da protecção social na vida da empresa e colaboradores”, que tiveram a participação “muito fraca” do empresariado deste sector.

“Mas, não é que não apareceram, tem alguns representantes, porque estão muito ocupados a organizar os seus stands para a feira amanhã”, explicou, adiantando que esperavam que outros chegassem mais tarde para acompanhar outras partes do programa.

Entretanto, com alguma insistência apareceram duas excepções, entre estas o Thierry Henriques, residente em São Vicente e natural de Santo Antão, que decidiu ser “empreendedor” na área de prestação de serviço e fez questão de marcar presença para, sublinhou, “adquirir conhecimento e abrir um caminho”.

O jovem disse já ter procurado financiamento na Pró-Empresa, mas foi barrado pela informação dada que este só é dado a pessoas com grau académico “um pouco elevado”.

“Para as pessoas que têm um nível académico base, 12º como o meu caso, já fica logo restringido e terá que procurar financiamento de outras formas e pode levar a deitar o teu sonho no chão”, lançou, acrescentando ter sido informado que o financiamento só é permitido aos com formação profissional de nível 3 a 5 ou formação universitária.

Anísia Ramos, por seu lado, afirmou participar do seminário em representação da mãe, proprietária da “Casa familiar Gilda” de transformação de doces e licores, empresa constituída neste ano em Santo Antão, e que, segundo a mesma fonte, não teve muita dificuldade de financiamento já que contou com o apoio do projecto Rotas das Aldeias.

Anísia Ramos ressaltou o facto de participar na feira de micro e pequenas empresas, uma vez que permite, asseverou, troca de experiências e ter contacto com as instituições que promovem serviços e também financiamento.

Até porque, conforme a mesma fonte, a empresa da mãe trabalha neste momento a partir do Vale da Garça, Ribeira Grande (Santo Antão), mas, exporta para São Vicente, Sal e São Nicolau.

A feira de micro e pequenas empresas tem início marcado para o final da tarde desta sexta-feira na FIC, na Laginha, e contará com a participação, segundo Edmilson Fonseca, de empresários de São Vicente, Santo Antão e São Nicolau, que deverão terminar de chegar durante o dia de hoje e mesmo na sexta-feira.

LN/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos