São Vicente: “Neste momento penso que temos que aceitar que a capital da cultura mudou-se para a Praia”- Germano Almeida

Mindelo,22 Nov (Inforpress) – O escritor cabo-verdiano Germano Almeida considerou hoje que a capital da cultura se mudou para a Praia, mas Mindelo continua a ser um centro importante a nível cultural porque os acontecimentos culturais em São Vicente acontecem quase que espontaneamente.

Germano Almeida fez esta constatação no encerramento da Escritaria de Cabo Verde, evento em sua homenagem, organizado pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas em parceria com a Câmara Municipal de Penafiel, distrito do Porto, Portugal.

Apesar disso, também observou que enquanto que na Praia os eventos têm que ser cuidadosamente preparados, na cidade do Mindelo as coisas acontecem quase espontaneamente.

“Estou convencido que isto tem muito a ver com a forma como a cidade, desde o princípio, foi organizada. Digamos, os bairros, as fraldas, coisas convergem todas para a Morada (nome que os sanvicentinos atribuíram popularmente ao centro da cidade do Mindelo) e tudo se reúne e tudo de fixa na Morada”, afirmou.

Para Germano Almeida isto é mais interessante porque desde sempre Mindelo foi povoado por gente que se preocupou com a cultura, lembrando que a primeira escola mista cabo-verdiana, que era Escola Camões, foi aberta na cidade de Mindelo em 1880 no prédio que hoje é a Assembleia Municipal de São Vicente.

“O publicista Loff Vasconcelos, um célebre cabo-verdiano, pediu a formação do primeiro liceu aqui em São Vicente, nos anos 1870 a 1880, embora o liceu tivesse vindo a surgir muito mais tarde, de maneira que São Vicente é uma ilha ligada à cultura”, lembrou o escritor, dizendo-se “convencido de que o movimento Claridade surgiu em São Vicente porque naquela altura não poderia ter nascido em outro lugar, porque Praia, sendo embora uma cidade com alguma importância, era ainda uma cidade rural”.

Daí que, segundo o escritor, trazer a Escritaria para São Vicente é, sobretudo, uma forma de elogiar e lembrar esta ilha que foi considerada um centro cultural cabo-verdiano.

“Trazer a Escritaria para a cidade do Mindelo é uma forma de nós, de alguma maneira, avivarmos a nossa realidade e lembrar a nossa cultura. Eu vou continuar empenhado, naquilo que me for possível, em divulgar a cultura cabo-verdiana, a cultura sanvicentina porque, embora sendo da Boa Vista, eu já me considero em grande parte de São Vicente”, concluiu Germano Almeida, mostrando-se “particularmente grato por terem repetido em São Vicente a homenagem que lhe foi feita em Penafiel em 2021

CD/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos