São Vicente: Guarda Costeira concretiza “missão singular” de fiscalização da actividade da pesca na sub-região

Mindelo, 21 Mai (Inforpress) – O comandante do navio Guardião, Pereira Baptista, classificou hoje de “missão singular” a participação da Guarda Costeira na operação de fiscalização da actividade da pesca na Zona Económica Exclusiva (ZEE) da Guiné-Bissau, Guiné Conakry e Serra Leoa.

A missão, denominada Kuta, durou sete dias e o comandante Pereira Baptista considerou que a mesma foi singular pela distância em que o navio Guardião se encontrava do país, mas também, ajuntou, por Cabo Verde estar a colaborar com o esforço sub-regional e internacional e contribuir para a protecção dos recursos haliêuticos na sub-região.

“Cumprimos a missão com muita satisfação”, concretizou a mesma fonte, que informou que a operação de fiscalização da actividade da pesca iniciou-se no dia 07 nas águas da Guiné-Bissau e ficou concluída no dia 13 de Maio nas águas da Serra Leoa.

A bordo do navio Guardião, para além dos 31 elementos da guarnição, estavam embarcados três inspectores de pesca dos três países envolvidos na operação, coordenada a partir do Centro Sub-regional de Coordenação da Operação, que estava montado na Serra Leoa, mas contou também com a colaboração do Centro de Operações de Segurança Marítima (Cosmar), sediado na Cidade da Praia.

Durante os três dias, conforme avançou o comandante Pereira Baptista, foram efectuadas 28 abordagens/vistorias a navios de pesca, das quais 11 nas águas da Guiné-Bissau, dez nas águas da Guiné Conakry e sete nas águas da Serra Leoa.

“Todos os navios encontravam-se em situação legal na questão do licenciamento para a pesca, mas mesmo assim ficaram algumas notas sobre as tripulações, que não foram tratadas nesta operação, já que focada no pescado, nas artes utilizadas e no licenciamento”, concretizou o comandante.

A operação conjunta sub-regional de fiscalização da actividade da pesca é organizada de 15 em 15 dias pela Comissão Sub-regional das Pescas, de que Cabo Verde faz parte, embora o país não tenha participado em todas as missões, já que “partilha a responsabilidade” com as marinhas do Senegal e da Serra Leoa e com outras instituições.

A última participação da Guarda Costeira na missão datava de 2013, pelo que a operação deste mês foi a segunda de Cabo Verde.

AA/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos