São Vicente: Dom Arlindo Furtado endereça mensagem de solidariedade ao bispo da diocese da Beira (Moçambique)

Mindelo, 27 Mar (Inforpress) – O bispo da diocese de Santiago de Cabo Verde, Dom Arlindo Furtado, enviou uma carta de condolência e solidariedade ao seu homólogo da diocese da Beira (Moçambique), Dom Claúdio Dalla Zuanna, região afectada pela passagem do ciclone Idai.

A Igreja em Cabo Verde, de acordo com nota publicada na págnia web da diocese de Santiago, através de Dom Arlindo Furtado, manifestou, assim, a sua “comunhão e solidariedade” para com a população da Beira, afectada pelo ciclone Idai, pedindo “ao Pai do céu pelas vitimas e pelos dirigentes locais e nacionais, para que possam tomar as medidas mais adequadas”.

A Cáritas Cabo-verdiana, por seu lado, que esteve reunida em assembleia-geral, na passada semana, lê-se na nota, encontra-se também “empenhada” em mobilizar recursos, através da Cáritas Internationalis, e contribuir para aliviar a situação das pessoas afectadas.

A passagem do ciclone Idai em Moçambique, no Zimbabué e no Maláui fez pelo menos 786 mortos e afectou 2,9 milhões de pessoas nos três países, segundo dados das agências das Nações Unidas.

Moçambique foi o país mais afectado, com 468 mortos e 1.522 feridos já contabilizados pelas autoridades moçambicanas, que dão ainda conta de mais de 127 mil pessoas a viverem em 154 centros de acolhimento, sobretudo na região da Beira, a mais atingida.

As autoridades moçambicanas adiantaram que o ciclone afectou cerca de 800 mil pessoas no país, mas as Nações Unidas estimam que 1,8 milhões precisam de assistência humanitária urgente.

Várias organizações internacionais já alertaram para o perigo da propagação de doenças, sobretudo cólera e malária.

AA/FP

Inforpress/Fim

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos