São Vicente: Deputados do MpD dizem que vão ao debate sobre Estado da Nação “de cara levantada”

Mindelo, 07 Jun (Inforpress) – Os deputados do Movimento para a Democracia (MpD, poder) eleitos por São Vicente afirmaram que vão ao debate sobre o Estado da Nação “de cara levantada”, porque têm trabalho para mostrar aos cabo-verdianos e, sobretudo, aos sanvicentinos.

O debate está previsto para o dia 31 de Julho e o deputado João Gomes, na qualidade de porta-voz, em conferência de imprensa, deu hoje nota de mais uma visita ao círculo, e aproveitou a ocasião para pedir aos sanvicentinos que tenham “confiança e foco” no desenvolvimento de São Vicente e para “estarem seguros” de que o Governo está a trabalhar para o desenvolvimento e o futuro da olha.

“Nada como planificar e São Vicente, em breve, será uma ilha moderna e internacional ao serviço da economia marítima”, concretizou o deputado, numa alusão ao programa da Zona Económica Especial de Economia Marítima (ZEEEM) cujo projecto, assinalou, já se encontra concluído e “nas mãos do Governo”.

Após informar sobre visitas efectuadas à Conservatória dos Registos e às Alfandegas, de entre outras instituições, que deixaram os deputados “muito satisfeitos”, mas também sobre obras em curso na ilha, o deputado ocupou boa parte do tempo a responder a questões dos jornalistas sobre a problemática dos transportes, sobretudo aéreos, de e para São Vicente.

“Não estamos satisfeitos com o sistema de transportes mas, na qualidade de deputados que querem o melhor para São Vicente, não podemos obcecarmo-nos com a questão de ligações aéreas com a Cabo Verde Airlines”, lançou o deputado, já que, ajuntou, “a TAP efectua voos diários São Vicente/Lisboa e TUI para a Holanda duas vezes por semana”.

Reconhecendo, embora, que haja um problema por a Cabo Verde Airlines não efectuar voos São Vicente/Lisboa, assegurou que só agora a companhia “está a soluçar”.

Se a “questão fundamental” for voos da Cabo Verde Airlines, o deputado garantiu que vai haver voos a partir de São Vicente, mas que “só não sabe quando”.

“Mas estamos a trabalhar e vamos resolver o problema que herdamos, de todos conhecidos, e que era extremamente difícil, e se não se resolver não me chamo João Gomes”, reiterou.

No entanto, reconheceu que o “grande problema” de entrada e saída de São Vicente, que não na TAP, relaciona-se “de facto” com a não conexão dos voos internos com os voos internacionais, pois considerou “inadmissível sair de São Vicente e ter que ir dormir na ilha do Sal” para apanhar um voo internacional.

A novidade, segundo João Gomes, “para mostrar que todos estão interessados em resolver a situação”, é que a Cabo Verde Airlines está na disposição, se o problema com a companhia Binter, que actualmente faz as ligações internas, não se resolver, de colocar pelos menos dois aviões ATR para assegurar as ligações internas, porque o hub é na ilha do Sal.

“Dê-nos o benefício da dúvida, pois não podemos naufragar em lágrimas do passado, não podemos falar no São Vicente do futuro se não for resolvido o problema dos transportes, após a salvação da empresa de bandeira”, sintetizou.

Sobre as ligações marítimas, o deputado disse que “não haverá hub marítimo na ilha de Santiago” e que e partir do mês de Agosto, com a nova empresa Inter-ilhas de navegação marítima, “as coisas vão começar a funcionar e bem”.

AA/JMV

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos