São Vicente: Câmara trabalha plano estratégico de prevenção e gestão dos resíduos sólidos com o Governo

Mindelo, 23 Abr (Inforpress) – O presidente da câmara de São Vicente disse hoje, no Mindelo, que a autarquia encontra-se a trabalhar com o Governo num plano estratégico nacional de prevenção e gestão dos resíduos sólidos.

Para além desse programa, a câmara, segundo Augusto Neves, hoje em conferência de imprensa, no Mindelo, trabalha ainda em planos operacionais em São Vicente, que consistem na implementação do sistema de recolha, transporte e valorização dos resíduos sólidos, já em curso.

Os referidos planos operacionais contemplam ainda, segundo a mesma fonte, o desenvolvimento de infra-estruturas de tratamento e destino final dos resíduos, cujos trabalhos “já vêm de longa data”, pois a câmara tem um Plano Director Municipal que muda a actual lixeira para um outro espaço, e que passará a um aterro sanitário.

Uma terceira vertente desses planos é o encerramento da actual lixeira e a requalificação ambiental.

Mesmo assim, avançou que neste momento a lixeira “está organizada”, com duas máquinas caterpillers a trabalhar diariamente, mas que, sobre a vedação da actual lixeira, a câmara “não vai fazer nenhum trabalho” nesse sentido porque a mesma vai ser desactivada.

“Temos o Plano Director Municipal aprovado, mas que não foi homologado,  e que está a ser melhorado, devido ao projecto da Zona Economia Especial de Economia Marítima, mais abrangente, e que deve integrar o plano, e com a lixeira já num outro local, transformado em aterro sanitário”, precisou Augusto Neves.

Sobre a Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR), da Ribeira de Vinha, o presidente da câmara de São Vicente informou que, através de um financiamento do Fundo do Ambiente, encontram-se em curso obras que consistem na limpeza das lagoas e instalação de equipamentos de controlo de qualidade das águas residuais, levantamento do muro em alvenaria de pedra basáltica, melhorando assim a vedação da ETAR, e a reparação dos rebordos de taludes  e reabilitação das passadeiras em betão, entre outros.

Por isso, Augusto Neves considerou “uma vergonha” as declarações recentes do deputado da UCID, António Monteiro, sobre a lixeira, e do coordenador local do PAICV, Alcides Graça, sobre a ETAR, ambos em conferência de imprensa na semana passada.

“Passam o tempo a falar ou da lixeira ou da ETAR e parece que ambos estão cismados obsessivamente com esses dois equipamentos sociais”, criticou Neves, lembrando a Monteiro e a Graça que só lhes falta “associar o Caizinho”.

Em conferência de imprensa semana passada, o deputado António Monteiro, com efeito, referiu-se a um projecto de uma incineradora de investidores suecos para substituir a actual lixeira, que teria entregado ao presidente da câmara, em 2018.

Hoje, Augusto Neves veio dizer que projectos de incineradoras “são ideias de António Monteiro, mas que não há projecto”, e que o deputado “devia apresentar o projecto quando estava na câmara”.

“Passou três mandatos como vereador do Ambiente, aliás ele usou o pelouro para outros fins atrás da caça ao voto, e não é por acaso que o anterior primeiro-ministro, José Maria Neves, o apelidou de ave de rapina”, ajuntou Neves, que reiterou que a câmara “não tem conhecimento” desse projecto.

“Temos um plano ambicioso e estamos a trabalhar todos os dias para poder ultrapassar os constrangimentos e trazer à população melhor qualidade de vida e contamos com todos os sanvicentinos para resolvermos com maior celeridade os nossos problemas”, concluiu o presidente da Câmara Municipal de São Vicente.

AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos