São Vicente: Actriz Janaína Alves decide promover “Conversas no feminino” para debater “assuntos ainda não falados”

Mindelo, 18 Abr (Inforpress) – A actriz Janaína Alves quer a partir desta segunda-feira iniciar “Conversas no feminino” no Facebook para debater e aprender sobre assuntos, que disse não estarem a ser discutidos, pelo menos com a participação das mulheres.

A ideia, segundo a mesma fonte adiantou à Inforpress, surgiu da constatação de que nas “famosas lives” (directos) e entrevistas feitas no Facebook estarem a ser discutidos vários temas, mas a “maioria dos entrevistados não são mulheres”.

“E também os assuntos, alguns destes não estão sendo abordados e falados como devem ser falados”, considerou a atriz Janaína Alves e também responsável pela Academia Livre das Artes Integradas do Mindelo (ALAIM).

Daí, ajuntou, decidiu desafiar a primeira entrevista, a presidente do Instituto Cabo-verdiano de Igualdade e Equidade do Género (ICIEG), Rosana Almeida, com quem pretende abordar a questão da violência doméstica neste período de isolamento social.

“Acabei falando com a Rosana e ela aceitou entrar nessa onda e penso que será mais uma ferramenta para tentar chegar em mais pessoas, não sei se nas pessoas correctas, mas informar a todos o que devem fazer e como proceder se passarem por isso”, sublinhou.

“A ideia é essa, além de maquiagem, culinária e maternidade, que também são assuntos importantes, podermos falar dessas preocupações sociais e também política, enfim conversas no feminino”, salientou Janaína Alves, que disse já ter outros nomes em mente, que conta dar a conhecer nos próximos dias.

Sendo assim, disse estar tentando chegar em outros nomes que “admira” pelos seus posicionamentos e que podem esclarecer “muitas coisas” às outras mulheres, principalmente a si própria.

As “Conversas no feminino” vão ser feitas, di-lo Janaína Alves, através de directos no Facebook, plataforma, que considera ter “mais força” em Cabo Verde, e partir daí as pessoas podem comentar e fazer perguntas.

“Vai ser uma conversa aberta e clara. Como estamos em casa pode até ter interrupções dos filhos… afinal nós as mulheres temos a força de ser muita coisa… e a nossa quarentena não tem sido fácil como tenho falado com outras mulheres”, lançou a actriz, que espera fazer as entrevistas, neste primeiro momento, três vezes por semana, e depois fixar um dia específico.

Isto porque, concretizou, a ideia é manter esses tipos de conversas e “quem sabe fazer disso uma tradição, já que conversar e ter conhecimentos sobre as coisas é muito importante”.

LN/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos