São Salvador do Mundo: Obras de requalificação do Centro de Achada Igreja arrancam no início de 2024 – ministra (c/áudio)

Achada Igreja, 03 Nov (Inforpress) – A ministra das Infraestruturas, Ordenamento do Território e Habitação, Eunice Silva, anunciou hoje o arranque das obras de requalificação do Centro de Achada Igreja, em São Salvador do Mundo, para o início de 2024.

A governante fez este anúncio no final de uma visita que efectuou ao município de São Salvador do Mundo, para se inteirar das obras que se encontram em curso e dos desafios que o mesmo ainda possui em termos de infraestruturas e acessibilidades.

Conforme anunciou, em declarações à imprensa, o projecto de requalificação do Centro de Achada Igreja já se encontra contemplado no pacote do Banco Mundial no projecto de conectividade e melhoria de espaço de infraestruturas urbanas, e, nesta visita, foi possível discutir os parâmetros do projecto que já está a ser elaborado.

“É um projecto para arrancar no início de 2024, que vai melhorar toda a zona urbana, o centro da cidade e que vai ter uma nova estrada paralela à zona central para permitir o escoamento fora da entrada”, evidenciou, reforçando que vai permitir o centro ter uma “rua pedonal histórica”.

Quanto aos outros meandros da visita, destacou que foi uma visita de rotina para acompanhar os projectos no concelho executados numa parceria entre o Governo e a Câmara Municipal de São Salvador do Mundo, onde se fez acompanhar dos dirigentes de algumas empresas para fazerem o ponto de situação dos projectos que estão a cargo das mesmas.

Nesta visita, no sector da habitação, a ministra avançou que a Imobiliária, Fundiária e Habitat, S.A (IFH) vai avançar com a construção de habitações sociais num terreno que pertence à imobiliária, e, ao mesmo tempo, preparar terrenos para novos loteamentos.

Já em termos de obras, a equipa visitou três troços de estrada, nomeadamente a estrada que vai de Achada Leitão até chegar a Jalalo Ramos, realçando que esta é uma estrada calcetada, mas que se encontra em “mau estado” e requer uma manutenção contínua de forma a permitir que a circulação se faça em segurança, comprometendo-se com o autarca, que a Estradas de Cabo Verde vai apoiar no sentido de manter esta manutenção permanente na estrada.

Também, visitaram uma estrada que, segundo a governante, na verdade “não existe”, justificando que é uma picada que foi aberta com a máquina, mas que é importante para a comunidade que se inicia em Chã Rodrigues até Picos Acima, considerando esta zona como sendo rica do ponto de vista da produção agrícola e reconhecendo que a mesma precisa de estrada.

Mas, neste momento, diz não se comprometer, reforçando que esta é uma estrada que carece da elaboração de um projecto, onde ficou acordado que a câmara municipal para esta apresentar uma ficha do projecto acompanhado de uma nota justificativa do enquadramento, para depois desencadear o processo que pode vir a culminar com a execução.

A outra estrada que a ministra visitou é a de Sansan até Leitão Grande, cujas obras já estão a decorrer e pretendem inaugurá-la em breve.

Por seu turno, o presidente da câmara municipal, Ângelo Vaz, destacou que a visita serviu para constatar ‘in loco’ a realidade do município no que tange às acessibilidades, onde no decorrer das três visitas aos troços mencionados, ficou comprovada a dureza do acesso de Chão Rodrigues a Picos Acima onde a população clama a melhoria da estrada.

Entretanto, realçou que “não ficou um compromisso”, mas que a autarquia vai iniciar os trabalhos e conjuntamente com o Governo ver uma solução para a estrada de ligação a esta comunidade.

Com as obras a decorrer na estrada de Sansan, o autarca considerou que esta trará melhor conectividade com outras zonas do município e ao dotar o município de infraestruturas do tipo permite-se que este tenha mais desenvolvimento, mantenha-se conectado e mais próspero.

Quanto ao projecto de construção de moradias sociais considerou que vai impactar o município, revelando que São Salvador do Mundo “possui muita carência de habitação social”, pese embora, reconheceu que já tiveram alguns ganhos de 2016 a esta parte, com a parceria do Governo através do Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidade – PRRA melhorando a vida de muitas famílias.

Mas, avançou que “ainda existem famílias que precisam ser atendidas e esse projecto em Achada Leitão vai permitir que mais 12 famílias possam ter acesso a habitação condigna”, numa parceria do Governo de Cabo Verde e a câmara municipal.

MC/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos