São Nicolau: População de Juncalinho pede mais emprego para os jovens

Ribeira Brava, 21 Mar (Inforpress) – Os moradores da localidade de Juncalinho, situada a cerca de 20 quilómetros da cidade da Ribeira Brava, em São Nicolau, pedem às autoridades locais e nacionais políticas geradoras de empregos para os jovens daquela comunidade.

Em declarações à Inforpress, o jovem Sandro Reis disse que o dia-a-dia em Juncalinho tem sido “um bocadinho complicado”, por conta do desemprego.

“Não há trabalho, a juventude tem passado a maior parte do tempo sentada, uma vez que não tem tido nada para fazer”, acrescentou.

Segundo disse aquele interlocutor, o “ponto forte” de Juncalinho tem sido o desporto, actividade que, conforme afirmou, não tem deixado os jovens irem para “outros caminhos menos bons”.

“Temos aqui o clube Belo Horizonte que representa a nossa comunidade no campeonato de São Nicolau de futebol, tendo conquistado o título na época passada”, relembrou.

Além do desporto, afirmou Sandro Reis. Juncalinho é uma “zona unida”, onde “a malta está sempre junta”, lamentando, embora, o facto de se estar a verificar, nos dias de hoje, “cada vez menos divertimento”.

“É que quando não há emprego, a juventude está sempre parada, não há muitas opções de diversões”, evidenciou o entrevistado, afirmando que não vê Juncalinho como uma zona onde os jovens “consomem muito álcool e outras drogas”.

Sobre as recentes notícias que dão conta da reabilitação da Lagoa de Juncalinho, uma das maravilhas naturais de São Nicolau, este jovem mostrou-se satisfeito com o anúncio.

“A Lagoa é um ponto forte para o turismo local. Sabemos que irá chamar muita atenção dos turistas. Quem ainda não o conhece deve-o fazer porque é um lugar bonito e o trabalho que ali se vai fazer irá servir a zona e irá modificar para melhor a localidade”, acrescentou, avançando que quando há um trabalho desta envergadura o jovem fica “expectante que irá conseguir trabalho e garantir alguma suavização na sua vida”.

A mesma opinião acerca do emprego para as jovens tem o idoso José Pedro Santana.

“Juncalinho precisa de trabalho, não para mim, porque já estou nos meus 90 anos, mas as gentes mais novas precisam trabalhar”, afirmou.

“Isto está muito mau. Não há trabalho para a juventude”, acrescentou o ex emigrante em São Tomé e Portugal, que vive hoje com a reforma daquele país europeu. “Não é muita coisa, mas ajuda alimentar a família”, finalizou.

Outro jovem, Minervindo dos Santos, disse achar que em geral todos os dias os jovens estão a abandonar São Nicolau por causa do desemprego.

“Mas falo da localidade de Juncalinho onde o trabalho está cada vez mais escasso, fazendo com que os jovens abandonem suas casas e familiares para ir à procura, o que nem sempre dá certo”, informou, perante uma situação, ajuntou, que “deve merecer atenção do Governo”.

Minervino dos Santos, formado em construção civil, mas que trabalha, “no máximo dois a três meses/ano, declarou que naquela comunidade só há emprego para quem trabalha fixo, ligado ao Estado, como professores e enfermeiros.

GSF/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos