Santo Antão: Questões burocráticas atrasam projecto de água e saneamento lançado só em Junho

Porto Novo, 25 Mar (Inforpress) – O lançamento do projecto de água e saneamento para a ilha de Santo Antão, que tem vindo a ser adiado desde Dezembro, acontecerá em Junho deste ano de 2019, informou o edil do Porto Novo, Aníbal Fonseca.

O autarca, que fez este anúncio durante uma visita do vice-primeiro-ministro a Porto Novo, diz ter informações de que as condições estão a ser criadas para que o projecto seja lançado dentro de três meses, um investimento de dez milhões de dólares norte-americanos (900 mil contos), que vai permitir levar água e saneamento a todas as casas do seu município.

Além do Porto Novo, que recebe o grosso dos investimentos, também os municípios do Paul e Ribeira Grande vão ser abrangidos pelo projecto, que deverá ser executado em dois anos.

O vice-primeiro-ministro, que domingo terminou uma visita de dois a Santo Antão, informou que este projecto, co-financiado pelo Banco Árabe para o Desenvolvimento em África (Badea), “está garantido” e que estão a ser ultrapassadas questões de ordem burocrática para que o mesmo avance, “ainda este ano”.

“Faça chuva, faça sol ou faça vento, o projecto vai ser realizado”, notou Olavo Correia, que reiterou este “compromisso” do Governo com Santo Antão, que visa melhorar o abastecimento de água potável em todos os três concelhos da ilha e resolver ainda o problema do saneamento no Porto Novo.

No domínio de água, o projecto prevê a construção de 25 quilómetros da rede de adução e distribuição no município do Porto Novo, além de 3.500 ligações domiciliárias e construção/reabilitação de reservatórios.

No município da Ribeira Grande, prevê-se a reabilitação de três reservatórios e três mil ligações domiciliárias, enquanto que no Paul serão feitas, com este projecto, duas mil ligações domiciliárias.

A nível do saneamento, o projecto vai permitir a construção, na cidade do Porto Novo, de uma rede de esgotos de 20 quilómetros e mais de 300 ligações domiciliárias, prevendo-se ainda a montagem de uma estação de tratamento de águas residuais (ETAR), duas estações de bombagem e 200 fossas sépticas nas zonas rurais.

O projecto contempla, igualmente, a aquisição de dois camiões limpa-fossas, entre outras acções.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos