Santo Antão: Polo Educativo número 07 do Tarrafal de Monte Trigo sempre atinge objectivos previstos – coordenador

Tarrafal de Monte Trigo, Santo Antão, 21 Mar (Inforpress) – O coordenador do Polo Educativo número 07, do Tarrafal de Monte Trigo, Odorico Baptista Lopes, avalia positivamente o desempenho do pólo que dirige e dos professores “competentes e experientes” que leccionam nas duas escolas desse pólo educativo.

“Tarrafal é uma zona distante, mas sempre tivemos professores de qualidade, com formação e experiência”, disse Odorico Lopes, afirmando que os professores desse pólo educativo, sediado na Escola João Madeira, sempre fizeram tudo para que os alunos tivessem sucesso escolar “e conseguiram”.

“Nós não temos nenhum caso de abandono escolar e a nossa taxa de sucesso no aproveitamento supera os 98 por cento (%)”, garantiu Odorico Lopes, adiantando que o pólo educativo número 07 tem duas escolas servidas por oito professores que orientam os 75 alunos inscritos, 66 na João Madeira e nove na de Covão.

Odorico Lopes relactivisa possíveis dificuldades que a distância dos centros de decisão pode criar ao sistema educativo em Tarrafal de Monte Trigo já que a escola e os professores dispõem de telefone e internet que, como em todo o lado, vão encurtando distâncias e eliminando antigas dificuldades de comunicação.

O turismo tem vindo a ser um parceiro fundamental da Educação no Tarrafal de Monte Trigo já que, segundo Odorico Lopes, “os turistas doam materiais escolares que a coordenação gere de forma a beneficiar todos os alunos” e com isso, acrescenta o docente, “os pais só compram os manuais e a escola oferece o restante material”, nomeadamente, cadernos, lápis, canetas, borrachas, entre outros, doados pelos turistas.

“Eles trazem os materiais que entregam à escola e nós fazemos a gestão para beneficiar a todos”, disse Odorico Lopes, acrescentando que “às vezes até doam dinheiro”.

O pré-escolar é assumido pela Igreja Católica, através dos Irmãos Capuchinhos que gerem a paróquia de São João Baptista e que arca com todas as despesas de funcionamento e pagamento do salário das monitoras, tendo em conta que a propina simbólica que os pais pagam não chega para pagar o salário de uma delas.

“Recebemos todas as crianças do Tarrafal de Monte Trigo”, disse a monitora responsável do Jardim, Joana Évora, explicando que dividem as crianças em duas turmas, sendo uma dos três e quatro anos de idade e outra dos cinco e seis anos, altura em que vão para a escola.

“Temos duas turmas com um total de 34 crianças orientadas por duas monitoras”, explicou Joana Évora, adiantando que o Jardim emprega, ainda, uma cozinheira e uma empregada de limpeza, todos pagos pelos Irmãos Capuchinhos.

Segundo Joana Évora o Jardim funciona bem e sem grandes dificuldades.

HF/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos