Santo Antão: Ministro garante que Governo fechou hoje o quadro de promessas feitas aos pescadores de Cruzinha

Ribeira Grande, 29 Jan (Inforpress) – O ministro do Mar, Abraão Vicente, afirmou que o Governo “fechou” hoje, o quadro de promessas feitas aos pescadores de Cruzinha, no município da Ribeira Grande, e avisou que diante de qualquer reivindicação extra é preciso “relativizar”.

“No quadro geral, as promessas que não só eu como ministro, mas que o Governo fez à população da Cruzinha em parceria com a Câmara Municipal da Ribeira Grande, foram integralmente cumpridas”, garantiu.

Abraão Vicente fez estas considerações à imprensa, após inaugurar a nova unidade de produção de gelo, do sistema fotovoltaico, do guincho de arraste de botes e entrega de equipamentos para a unidade de frio Cruzinha.

Fibragem dos botes, lançamento dos editais de acesso a compras de motores, embarcações e reabilitação das mesmas são algumas promessas elencadas pelo governante que foram cumpridas.

Quanto ao arrastador de Cruzinha que é uma reivindicação antiga dos pescadores da localidade, o ministro salientou que se trata de um “compromisso” que já está enquadrado no pacote do Banco Mundial e que o mesmo irá ser feito no seu “devido tempo”.

Isso porque, segundo a mesma fonte, no Banco Mundial, o Governo tem um pacote para reabilitação de arrastadores e pequenos portos, e assim que a verba for disponibilizada as obras serão concretizadas.

Entretanto, Abraão Vicente adiantou que o estudo do mesmo já foi feito e apelou aos dirigentes da associação local para uma “melhor organização e espírito empreendedor”.

“Dos dados que recolhemos muitos poucos botes e embarcações da Cruzinha tem saído ao mar para pesca e é preciso que a população resgate todas as infraestruturas que estamos a fazer, porque não é só construir infraestruturas, é preciso que haja o cuidado com os mesmos”, pediu.

Por sua vez, José Carlos dos Santos, que falou em representação dos pescadores e proprietários, manifestou a sua satisfação com as promessas cumpridas, mas, segundo o mesmo, ainda querem mais e melhor.

É que na opinião de José Santos o guincho foi uma mais-valia uma vez que doravante os pescadores conseguem arrastar seus botes sem muita dificuldade.

“Detectamos que o guincho tem um problema porque o material do mesmo não é apropriado para acção do mar, e o mesmo já está com ferrugem (…). Queremos que as promessas sejam cumpridas sim, mas exigimos material de qualidade para que o mesmo possa nos servir por um bom período”, opinou.

Quanto ao arrastador enfatizou que é uma “revindicação antiga”, e mesmo sendo reabilitado, “não estão a fazê-lo de “acordo com as suas necessidades”.

LFS/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos