Santo Antão: Empresa de tratamento de produtos agrícolas ganha selo de origem atribuído no âmbito do projecto Raízes

Porto Novo, 04 Nov (Inforpress) – Os produtos da empresa santantonense SINT’AGRO, que opera no tratamento e conservação de produtos agrícolas, já estão a ser comercializados no mercado com o selo de origem de “produtos genuínos” de Santo Antão.

Inhame, mandioca, fruta-pão, abóbora são alguns dos produtos tratados e conservados pela empresa SINT’AGRO, que passaram, desde esta sexta-feira, a ostentar o selo de origem dos produtos genuínos de Santo Antão, atribuído no âmbito do projecto Raízes (Rede de promoção do turismo sustentável e inclusivo), desta ilha.

Os produtos da SINT’AGRO, cujo mentor é o engenheiro químico Vitorino Nascimento, estão a ser comercializados em Santo Antão, São Vicente e em Santiago.

Para este empreendedor, trata-se de uma forma de fazer face ao embargo imposto há quase 40 anos aos produtos agrícolas de Santo Antão por causa da praga dos mil pés.

Como forma de contornar esta medida, cujo levantamento tem sido insistentemente reivindicado pelos agricultores e autoridades municipais, estão a ser instalados em Santo Antão uma rede de entrepostos agrícolas para tratamento pós-colheita e comercialização.

No caso do Porto Novo, além do centro de expurgo, instalado em 2010, na cidade do Porto Novo, já existe um entreposto na Ribeira da Cruz, estando na fase avançada de instalação um segundo entreposto no Tarrafal de Monte Trigo.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos