Santo Antão: Edil do Porto Novo alerta que perda da população constitui “séria ameaça” ao futuro desta ilha

Porto Novo, 23 Mar (Inforpress) – O edil do Porto Novo alertou hoje, que a perda da população, por parte da ilha de Santo Antão, está a constituir “uma séria ameaça” ao futuro desta região, que perdeu quase três mil habitantes nos últimos anos.

Aníbal Fonseca, que falava hoje no acto de lançamento do programa de estágios profissionais e empregabilidade, informou que esse fenómeno constitui “uma grande preocupação” dos municípios de Santo Antão, ilha que, a seu ver, apresenta, actualmente, “indicadores que não estão em sintonia com os indicadores nacionais”.

Santo Antão, sobretudo, nível de empregabilidade, do PIB (Produto Interno Bruto) percapita e do desemprego, apresenta indicadores que estão aquém das expectativas dos santantonenses, segundo o autarca, para quem, como resultado dessa realidade, “temos uma ameaça séria” ao futuro desta ilha: a emigração”.

“São Fenómenos que estão a criar dificuldades sérias à ilha e, como consequência, temos uma ameaça: a emigração dos santantonenses, particularmente dos jovens para outras ilhas, por falta de oportunidades”, sublinhou o edil do Porto Novo, reafirmado a “grande preocupação” dos autarcas desta ilha, a respeito.

Aníbal Fonseca enalteceu, por isso, o facto de o Governo ter definido, no quadro do seu programa para esta Legislatura, a aposta no sector económico, criando oportunidades para todas as ilhas, reduzindo as simetrias regionais, promovendo o emprego e combatendo a pobreza.

O autarca endereçou “uma palavra de muita esperança” aos jovens santantonenses no programa de estágios profissionais e empregabilidade, já que, segundo disse, cria oportunidades de financiamento da formação profissional e estágios profissionais, de que a juventude precisa, nesta altura.

Aníbal Fonseca, realçou também a aposta do seu município na atracção de investimentos privados como forma de reter as pessoas na ilha.

Os autarcas de Santo Antão têm vindo a alertar para “o maior drama” que a ilha vive, actualmente, que tem a ver com o seu despovoamento, fenómeno que, conforme realçam, resulta da “falta de oportunidades” para, sobretudo, os jovens, obrigados a deixarem a ilha que, em 2030, poderá ter menos habitantes que tinha em 1940.

Segundo o Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável (PEDS) de Cabo Verde (2017-2021), em 1940, Santo Antão tinha 35 mil habitantes, podendo até 2030 dispor apenas de 33 mil pessoas, caso se mantenha este ritmo de despovoamento.

Entre 2012 e 2016, Santo Antão perdeu quase três mil habitantes, passando a população de 42.552 para 39.992 habitantes.

JM/FP

Inforpress/fim

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos