Santiago Norte: Município do Tarrafal celebra hoje 103 anos da sua criação

Tarrafal, 25 Abr (Inforpress) – O município do Tarrafal, no interior da ilha de Santiago, criado em 1917, cujas principais actividades económicas exercidas pela população são a agricultura, a pesca e o turismo, comemora hoje 103 anos da sua criação.

Este ano, devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19), com o concelho a registar dois casos positivos, as celebrações passaram despercebidas e sem a sessão solene da Assembleia Municipal.

De acordo com dados históricos, o município do Tarrafal foi criado a 25 de Abril de 1917, através do decreto-lei nº 3108-B de 25 de Abril, provocando a sua desintegração do Concelho de Santa Catarina que, até 1912, tinha a sua sede na vila do Tarrafal, agrupando as freguesias de Santo Amaro Abade e São Miguel Arcanjo, com sede na vila do Tarrafal.

Esta configuração administrativa permaneceu até 1997, quando foi desmembrado em dois municípios, Tarrafal e São Miguel.

O concelho, que tem 112,4 quilómetros quadrados, conta com 22 localidades, sendo dois urbanos (cidade de Mangue e Chão Bom) e 20 rurais.

É na cidade de Mangue que centra os edifícios da câmara municipal, da Igreja de Nhu Santo Amaro Abade, Esquadra da Polícia Nacional, o mercado de artesanato e de cultura, o antigo cinema, a Baía Verde e escola secundária, entre outras grandes infra-estruturas.

O município também alberga o ex-Campo de Concentração ou Museu da Resistência, cujo Governo espera entregar a candidatura a Património Mundial da Humanidade, que já está inscrito na lista indicativa dos patrimónios da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

A propósito da data, o deputado nacional eleito pelo círculo eleitoral Santiago Norte José Soares enviou uma nota à Inforpress em que reconhece que “muito se tem feito” nesses 103 anos da criação do concelho do Tarrafal, graças aos sucessivos dirigentes e envolvimento dos munícipes e parceiros.

Contudo, segundo este tarrafalense, ainda persistem alguns desafios futuros, para que aquele município o interior de Santiago possa entrar no “Top 5” de Cabo Verde e “Top 2” de Santiago.

De entre os desafios apontou a congregação, o aproveitamento e a valorização, cada vez mais, dos jovens e dos quadros tarrafalenses no País e na diáspora, o reforço da criação de condições para o desenvolvimento económico e social, integrado e sustentável, e o reforço da promoção nacional e internacional da imagem do Tarrafal, enquanto alternativa e destino e com serviços de qualidade e excelência.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) de 2018, o concelho de Tarrafal de Santiago que celebra o Dia do Município e Santo padroeiro Santo Amaro abade, tem actualmente uma população residente de 18.171, sendo 45,6% do sexo masculino e 54,4 % do sexo feminino, representando 5,9% (por cento) a nível da ilha de Santiago e 3,3 % a nível de Cabo Verde.

No campo da educação, os dados apontam que 82,2 % da população com 15 ou mais anos é alfabetizada, com maior incidência na faixa etária entre 15-24 anos em que a taxa sobe para 98,8%.

Relativamente ao mercado de trabalho, o INE estima que 47, 4 % da população activa do Tarrafal encontra-se ocupada, sendo 49,9 % homens e 45,4% mulheres. A taxa do desemprego é estimada em 9,5 %, sendo 9,9 % nos homens e 9,2 % nas mulheres, sendo que o desemprego afecta 23,6 % dos jovens (15-24).

Nas condições de vida, 81,3% dos 4.999 agregados familiares têm acesso à electricidade, 70,9 % têm acesso à casa de banho e 84,7 à água canalizada (rede pública), 64,7 % usa contentores para evacuação do lixo, 57,1 % usam gás para cozinhar e 42,6% usam lenha para cozinhar.

No acesso às Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), o telefone fixo chega a 9,2 % das habitações, 68,7% têm televisão, 16,0% têm televisão por assinatura, 22,1 % têm computador e 10,7% tablet e 49,1% usam Internet.

FM/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos