Santa Catarina: Edilidade já tem em acção o plano de emergência para a época das chuvas

Assomada, 04 Set (Inforpress) – A Câmara Municipal de Santa Catarina, no interior de Santiago, já tem em curso o seu plano de emergência para a época das chuvas de 2019, que foca nas pessoas visando salvaguardar as suas vidas e mantê-las em segurança.

O plano, que vai até o final de Outubro, orçado em 5.000 contos, conforme informações do pelouro da Segurança e Protecção Civil da Câmara Municipal de Santa Catarina, é constituído por três fases, ou seja, antes, durante e após a época das chuvas deste ano.

Limpeza e cobertura de valas de drenagem de água, reposição de estradas, construções de diques e limpeza das encostas das ribeiras, são alguns trabalhos realizados e por realizar ao longo da materialização do plano desse município do interior de Santiago.

O mesmo, que conta com uma equipa multidisciplinar, designadamente dos pelouros do Saneamento, das Obras, do Desenvolvimento Social da Câmara Municipal de Santa Catarina e do Serviço Municipal da Protecção Civil e Bombeiros, tem ainda como parceiros a Polícia Nacional, Cruz Vermelha, Delegação do Ministério da Educação e Delegacia de Saúde.

Em declarações hoje à Inforpress, a propósito da época das chuvas, o edil santa-catarinense, José Alves Fernandes, informou que, de momento, já foram realizados trabalhos de limpeza, sobretudo, nas valas de drenagem de água.

O pelouro da Segurança e Protecção Civil, conforme lembrou, tem levado a cabo trabalhos de preparação, contactando as localidades de “maior risco”, mormente as vilas piscatórias de Rincão e da Ribeira da Barca, e ainda alguns bairros da cidade de Assomada e a localidade dos Engenhos.

“Nos próximos dias, esperamos que haja mais chuva, mas não com intensidade que possa criar constrangimentos, sobretudo a necessidade de fazer a transferência das famílias”, almejou, assegurando, no entanto, que caso houver a necessidade de se fazer a transferência de pessoas já têm em curso os trabalhos de preparação junto dos seus parceiros para o efeito.

José Alves Fernandes fez saber ainda que em caso de desabamento de tectos, a edilidade vai actuar de imediato com transferências das famílias, um processo que será feito em articulação entre as áreas da Segurança e Protecção Civil e  do Desenvolvimento Social da câmara.

Tendo em conta que a edilidade, no âmbito do PRRA, tem em curso reabilitação de casas de famílias carenciadas, garantiu que essas famílias com tectos por desabar já estão identificadas e que as mesmas vão ser contempladas com este projecto.

Em caso de transferências, informou que as famílias vão ser alojadas nas escolas e espaços administrativos da câmara, como por exemplo espaços jovem.

Em relação ao caso da localidade de Furna, onde no ano anterior houve queda de rochas e as famílias foram transferidas para a Escola Armando Napoleão Fernandes, em Achada Falcão, o executivo camarário assegurou que o problema está ultrapassado, tendo em conta que foram feitas intervenções na rocha e construída uma estrada de acesso àquela comunidade.

O autarca santa-catarinense aproveitou ainda para avisar os munícipes que neste período [época das chuvas] que caso houver necessidade de intervenção para não hesitarem em contactar os serviços administrativos da câmara e outros serviços desconcentrados do Estado no concelho.

FM/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos