Sal: Taxistas e condutores de hiace pedem apoio ao Governo diante da crise provocada pela covid-19

hiaceEspargos, 28 Mar (Inforpress) – Taxistas e condutores de hiaces, na ilha do Sal, manifestam preocupação e pedem apoio do Governo diante da crise provocada pela covid-19, que obrigou a medidas de contingência e declaração, hoje, do estado de emergência no País.

Como forma de combater e evitar a propagação da pandemia do coronavírus (covid-19), o Governo tomou medidas de contingência, acopladas à declaração do estado de emergência no País, hoje, pelo Presidente da República.

Decisões que obrigam ao isolamento, distanciamento social, encerramento de estabelecimentos comerciais e serviços públicos e privados, entre outras.

Face ao cenário, os taxistas, embora “cientes da importância” da tomada dessas medidas que visam a protecção das populações, não deixam de manifestar que a situação “complicou-se” e já traz reflexos para a sobrevivência dos profissionais.

Toy Lima, condutor de hiace, que vê reduzido o número de transporte de passageiros de 15 para nove, conforme medida estabelecida devido ao Covid-19, disse que actualmente a facturação diária “mal dá” para compra de combustível, mormente para o sustento da família.

“Temos consciência do momento que estamos a atravessar, porém, pedimos apoio do Governo no sentido de nos ajudar ao menos, na compra de combustível. Temos registado uma quebra enorme, chegamos no final do dia com quase nada”, declarou, em tom de preocupação.

Outro colega, para quem o mais importante não é pensar agora em dinheiro, porém na protecção da saúde e vida das pessoas, fez um apelo também no sentido de atribuição de um subsídio para combustível.

”Estávamos animados, mas agora a situação complicou-se”, disse.

Também “Fresco”, como é conhecido no meio dos hiacistas, seguindo pelo mesmo diapasão, disse que o movimento “baixou drasticamente”.

“O que se está a facturar, agora, só dá para a manutenção. Problema sério, pelo que pedimos apoio do Governo já que temos vários encargos, a ver com impostos, licença, renovação da documentação, pelo que apelamos a uma flexibilidade das autoridades nesse sentido”, manifestou.

A cumprirem, conforme garantem, com as orientações e medidas de higiene pessoal, esses profissionais, apreensivos quanto ao futuro, auguram dias melhores e que a Covid-19 não venha a se propagar no País.

“É uma luta de todos, e vamos ao combate”, exteriorizam, exibindo um frasco de vinagre, mostrando que estão cautelosos.

O  ministro da Saúde anunciou hoje mais  um caso  positivo de Covid-19, na ilha da Boa Vista, dois “inconclusivos”, na Cidade da Praia,  num total de 13 testes realizados a casos suspeitos.

Os casos “inconclusivos”, adiantou o ministro, são de duas crianças.

Sendo assim, Cabo Verde registou até o momento seis casos positivos do novo coronavírus, sendo  quatro na ilha da Boa Vista e dois na cidade da Praia, ficando por confirmar os dois testes “inconclusivos”.

SC/AA

Inforpress/Fim

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos