RETROSPECTIVA/Portugal: Sara Tavares morre em Lisboa aos 45 anos e deixa Cabo Verde e o mundo a “chorar”

Lisboa, 31 Dez (Inforpress) – A morte de Sara Tavares marcou Portugal e a diáspora este ano, assim como a assinatura do memorando de entendimento sobre o Fundo Climático e Ambiental com o Governo português e a comemoração do Dia da Cultura.

A cantora luso-cabo-verdiana Sara Tavares faleceu a 19 de Novembro, em Lisboa, aos 45 anos, vítima de um tumor no cérebro, deixando figuras públicas e anónimas, em Portugal, Cabo Verde, Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e o resto do mundo, a lamentar a perda da artista que lutava há mais de uma década contra a doença, no mesmo ano que também morreu o cabo-verdiano Zé Orlando, fundador da editora Sons D’Africa que trabalhou com vários artistas do país e dos PALOP.

No âmbito da cultura, este ano, o Dia Nacional da Cultura e das Comunidades, comemorado a 18 de Outubro, teve o acto central em Lisboa, no Centro Cultural Cabo Verde (CCCV), presidido pelo ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente, tendo o Governo homenageado várias personalidades com a Medalha de Mérito Cultural de 1º e 2º Graus.

Em Fevereiro, o mestre da música cabo-verdiana Paulino Vieira regressou aos palcos, com uma actuação no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, depois de vários anos ausente.

O ano também ficou marcado com a assinatura do memorando, em Lisboa, no mês de Junho, entre os governos de Cabo Verde e de Portugal, visando converter 12 milhões de euros da dívida que o arquipélago tem para o país europeu, destinados ao Fundo Climático e Ambiental, até 2025, para financiamento de projectos no domínio do clima e ambiente.

O documento foi rubricado entre o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, e o ministro das Finanças de Portugal, Fernando Medina, testemunhado pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, e o seu homólogo português, António Costa.

Em Lisboa, a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2023 aconteceu de 01 a 06 de Agosto e reuniu cerca de 1,5 milhões de pessoas de todo o mundo, entre as quais quase mil cabo-verdianos, a maior participação de sempre, em um evento que contou com a presença do Papa Francisco.

A capital portuguesa ainda acolheu a Web Summit 2023, de 13 a 16 de Novembro, com participação de 2.600 startups e cerca de 70 mil participantes de quase 160 países, tendo Cabo Verde marcado presença com uma delegação de mais de 50 pessoas, incluindo as dez startups, chefiada pelo secretário de Estado da Economia Digital, Pedro Lopes.

Ficou-se também a conhecer a sentença aplicada pelo Tribunal de Bragança que condenou, em Abril, apenas um dos sete arguidos pela morte do cabo-verdiano Luís Giovani Rodrigues, de 21 anos, falecido em Dezembro de 2019, a uma pena de 10 anos e três meses de prisão.

Em Agosto, um casal de cabo-verdianos (homem 28 anos e mulher 25 anos) morreu em um incêndio por causa do fogo no prédio onde morava, em Nice, França, e em Fevereiro, um cabo-verdiano, com nacionalidade portuguesa, foi preso por suspeito de três mulheres assassinadas na região do Algarve, Portugal.

No mesmo mês, um cabo-verdiano esfaqueou a mulher grávida de oito meses, também cabo-verdiana, no Barreiro, tendo sido acusado pelos crimes de homicídio qualificado e detenção de arma proibida e, em Março, um cabo-verdiano de 69 anos foi identificado como suspeito de ter morta a neta de sete anos, esfaqueando-a no pescoço, tendo depois tentado suicidar-se com golpes da mesma arma, em Vialonga, Vila Franca de Xira.

Em relação aos estudantes cabo-verdianos em Portugal, que este ano têm reclamado muito os preços de renda das casas, a União de Estudantes Cabo-verdianos em Lisboa (UECL) criou os Prémios UECL “Valorizar o Mérito” e atribuiu-os pela primeira vez, em Maio, aos alunos cabo-verdianos que frequentam o ensino superior na capital portuguesa.

Em Setembro, realizou-se o 1º Encontro da Plataforma da Associação Cabo Verde Diáspora (PLTCVD) com participação de associações cabo-verdianas em Portugal, Brasil, Senegal, Itália, Luxemburgo, Itália, França e Reino Unido para falarem sobre “Educação e cultura”, “Desenvolvimento local”, “Desporto e saúde”, “Desafios sociais: relações nacionais e internacionais” e “Eventos”.

Várias visitas foram realizadas pelo Chefe de Estado e membros do Governo, como exemplo, a que o Presidente da República, José Maria Neves, efectuou ao Grão-Ducado do Luxemburgo, em Maio, no quadro das relações de amizade, solidariedade e cooperação, acompanhado de uma delegação governamental, municipal e empresarial.

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, entre as visitas que fez à Europa, pode-se indicar a que realizou de 14 e 15 de Junho, à Genebra, Suíça, para participar na 111ª Cimeira da Organização Internacional do Trabalho (OIT), e de 16 a 19 de Junho, à Kiel, Alemanha, com foco no sector marítimo.

Paris Recebeu, em Abril, a primeira edição do Salão Internacional das Empresas Cabo-verdianas na Diáspora, com vista à sua promoção global e criação de uma rede, com o lema “Ka nu skeci nós origem” (Não esqueçamos a nossa origem, em português).

Em Novembro, foi inaugurada a sede do Consulado de Cabo Verde na Região Autónoma da Madeira (Portugal) e em Julho, Cabo Verde foi eleito como o Melhor Destino Internacional na Gala de Prémios de Turismo – Publituris Portugal Travel Awards 2023, organizada pelo jornal Publituris, realizada na cidade de Alcobaça.

DR/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos