Responsável do CERMI diz que os 250 novos formandos vão conseguir entrar no mercado de trabalho (c/áudio)

Cidade da Praia, 16 Set (Inforpress) –  O presidente do conselho de administração do Centro de Energias Renováveis e Manutenção Industrial (CERMI) disse hoje acreditar que os 250 novos formandos vão conseguir entrar no mercado de trabalho.

Luís Teixeira fez esta consideração à imprensa, momentos antes do acto oficial de acolhimento dos 250 jovens residentes na Ilha de Santiago que vão frequentar dez cursos intensivos de níveis 5, 4 e 3, no período laboral e pós-laboral, nomeadamente na área de solar fotovoltaica, frio e climatização, soldadura, automação e energia eólica, entre outros, “muito solicitados” no mercado.

Estes cursos, segundo disse, fazem parte de um projecto orçado em mais de 60 mil contos que irá beneficiar 200 jovens com uma bolsa (propina, matérias escolares, equipamentos de protecção, uniformes e transporte) do Governo de Cabo Verde, através da Unidade de Gestão da Política Integrada para a Educação, Formação e Emprego (PI-EFE).

Os restantes 50 jovens que vão estudar por conta própria, assegurou, podem candidatar-se ao apoio financeiro do Fundo de Promoção do Emprego e da Formação (FPEF).

Para Luís Teixeira esta é a “maior oferta formativa” alguma vez lançada no país, de uma só vez, com “garantia de qualidade” e com “probabilidade de inserção” no mercado do trabalho, uma vez que hoje em dia, a seu ver, a formação profissional é “um dos principais instrumentos”de inserção no mercado.

“Mais de 60 por cento dos Jovens após a sua formação profissional conseguem inserir-se no mercado de trabalho e do CERMI também. Nós até agora, os números que temos da taxa de empregabilidade tem sido boa, por isso estamos convencidos de que os jovens fizeram uma boa escolha em vir aqui fazer a sua formação”, assegurou.

Ao longo desses três anos de existente, sublinhou, a instituição, que se iniciou com pouco mais de 60 alunos, já formou mais de 700 jovens de todas as ilhas do país e com garantia de estágio curricular.

“O retorno que temos tido das empresas (…) e a recepção têm sido boas e acho que os jovens vão conseguir entrar no mercado de trabalho”, disse, anunciado que ainda este ano a CERMI vai formar mais 500 jovens.

Para além do início destas novas formações, Luís Teixeira avançou que vão iniciar hoje uma formação em eficiência energética para 20 técnicos oriundos de países francófonos da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).

Uma novidade que para este responsável é um “grande ganho” para a CERMI, que hoje em dia não só está a formar para Cabo Verde, mas também para a CEDEAO.

Para os jovens beneficiados esta é uma oportunidade de se capacitarem em áreas que “fazem falta no mercado” e com “garantia de empregabilidade”.

Os mesmos esperam sair com mais ferramentas e aptos para dar respostas às necessidades das empresas em vários domínios, desde climatização, energias renováveis e sistema fotovoltaica, entre outros.

AM/AA
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos