Primeiros camiões de ajuda humanitária em Gaza após início de trégua

Cairo, 24 Nov (Inforpress) – Os primeiros camiões de uma caravana de ajuda humanitária começaram hoje a entrar na Faixa de Gaza através da fronteira de Rafah, após a entrada em vigor da trégua, avançou a televisão egípcia Al Qahera News.

A trégua de quatro dias entre Israel e o grupo islamita palestiniano Hamas vai permitir a entrada diária em Gaza de 200 camiões de ajuda humanitária, disse hoje um porta-voz do Governo do Egipto.

O director do Serviço de Informação do Estado egípcio, Diaa Rashwan, disse que “200 camiões carregados com alimentos, medicamentos e água entrarão diariamente pela primeira vez desde o início da guerra israelita contra a Faixa, há cerca de 50 dias”.

Num comunicado divulgado antes do início da trégua, Rashwan disse ainda que 130 mil litros de combustível e quatro camiões de gás natural provenientes do Egipto entrarão diariamente no enclave palestiniano.

A televisão egípcia divulgou imagens de camiões a aguardar no posto fronteiriço de Rafah, que liga a Faixa de Gaza ao Egipto e é a única via de acesso ao território governado pelo grupo Hamas não controlada por Israel.

Rashwan lembrou que o Egipto continuará a receber grupos de crianças feridas e doentes vindas da Faixa de Gaza para receberem tratamento médico no país, bem como estrangeiros e pessoas com dupla nacionalidade.

Pela primeira vez desde o início do conflito entre Israel e o Hamas, as autoridades do Cairo irão permitir que os palestinianos retidos no Egipto regressem à Faixa de Gaza.

A entrada de mais ajuda humanitária no enclave palestiniano foi um dos pontos do acordo de trégua, que prevê também a libertação de 50 reféns em troca da libertação de prisioneiros palestinianos, e que entrou em vigor hoje às 07:00 (05:00 em Lisboa).

A trégua entrou em vigor depois de uma noite em que Israel continuou a atacar a Faixa de Gaza e em que o Hamas lançou mísseis contra dois colonatos israelitas situados perto do enclave palestiniano, cujos habitantes já tinham sido retirados.

Cerca de duas horas antes da trégua entrar em vigor, o director-geral do Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo Hamas, Mounir Al-Bursh, disse à agência de notícias France-Presse (AFP) que os soldados israelitas estavam “a realizar uma operação no Hospital Indonésio”, localizado no norte de Gaza, onde 200 pacientes ainda estão a ser tratados.

O Hamas confirmou “a cessação total das actividades militares” durante quatro dias.

Uma fonte de segurança do Egipto disse à AFP que uma delegação de segurança egípcia estará presente em Jerusalém e Ramallah para garantir o “cumprimento da lista” de prisioneiros palestinianos libertados.

Autoridades de segurança de Israel, acompanhadas por pessoal da Cruz Vermelha e agentes egípcios, serão enviadas à fronteira de Rafah para receber os reféns libertados de Gaza, que então voarão para Israel, acrescentou a fonte.

Inforpress/Lusa

Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos