Primeiro-ministro regozija-se com pacote de investimento da Estratégia Global Gateway e reforço da parceria com UE (c/áudio)

Lisboa, 27 Out (Inforpress) – O primeiro-ministro regozijou-se hoje com a garantia do pacote de investimento no âmbito da Estratégia Global Gateway no valor de 426 milhões de euros e congratulou-se com o reforço da parceria especial com a União Europeia (UE).

Ulisses Correia e Silva manifestou essa satisfação em declarações à imprensa cabo-verdiana, no Aeroporto Internacional de Lisboa, de regresso a Cabo Verde, depois de uma visita à Bruxelas (Bélgica) para participar no Fórum Global Gateway, que decorreu nos dias 25 e 26, em que aproveitou para manter encontros com algumas autoridades.

“O pacote para Cabo Verde da Estratégia Global Gateway são 426 milhões de euros que vão ser aplicados na transição energética para acelerarmos o processo de introdução das energias renováveis, na economia azul com fortes investimentos nos portos (…) e na economia digital com a conectividade entre as ilhas através do cabo submarino de fibra ótica”, declarou Ulisses Correia e Silva.

Para o primeiro-ministro, o Governo conseguiu um “volume de investimento importante” para toda a fase de desenvolvimento de Cabo Verde, indicando que os portos que vão receber intervenção no âmbito desse pacote são os portos da Palmeira e do Maio, para a segunda fase, e a expansão do Porto do Mindelo e do Porto do Porto Novo para adequar e receber turismo de cruzeiros.

“Há um calendário de aprovação de projectos. No mês de Novembro, segundo fomos informados, haverá a primeira aprovação do pacote relacionado com a transição energética e depois outros seguir-se-ão. O importante é a segurança do volume de investimentos declarado pela própria presidente da Comissão Europeia [Ursula von der Leyen], ou seja, os projectos foram apresentados e estarão prontos a executar assim que todo o procedimento for concluído”, garantiu.

Ulisses Correia e Silva não quis avançar com uma data para o término do desbloqueio das verbas, explicando que são investimentos públicos que têm uma parte de subvenção da União Europeia e tem outra parte que é empréstimo concecional do Banco Europeu de Investimento, sendo que dentro desse pacote também há investimentos privados.

O chefe do Governo apontou a parte que tem a ver com a conectividade do cabo de fibra ótica, que é um projecto da Cabo Verde Telecom, e a indústria pesqueira, um projecto de Atunlo, ao que se juntam os projectos públicos que têm a ver com a transição energética e o resto da economia azul, o investimento nos portos.

Com a Comissão Europeia, Ulisses Correia e Silva sublinhou o acordo entre as partes na introdução de mais um pilar na parceria especial entre Cabo Verde e União Europeia, que é a transformação digital e economia digital, que não estava previsto nos primeiros documentos, e também a ciência, inovação e investigação.

Em Bruxelas, Ulisses Correia e Silva teve também um encontro com o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), Jens Stoltenberg, sustentado que foi um “reencontro”, lembrar que a NATO realizou o exercício “Steadfast Jaguar 06” em 2006 em Cabo Verde.

Para o chefe do Governo, houve uma aproximação à NATO relativamente à segurança marítima, já que Cabo Verde tem uma Zona Económica Exclusiva muito vasta e a necessidade de ter bons parceiros para fiscalização, patrulhamento, garantir os interesses relativamente ao controlo da pesca ilegal e a contribuição positiva a nível da prevenção e combate ao tráfico de drogas e pirataria, frisando que tudo isso interessa também aos países parceiros, particularmente os países que fazem parte da NATO.

Por tudo isso, o primeiro-ministro considerou que a visita à Bruxelas foi “um sucesso”, primeiro “pela garantia deste pacote de investimentos que é muito forte”, segundo “o reforço da nossa parceria especial com a União Europeia e terceiro esta relação que queremos desenvolver de parceria de segurança cooperativa com a NATO”, rematou.

Em Bruxelas, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, teve também um encontro com o seu homólogo de Luxemburgo, Xavier Bettel, com quem disser ter reafirmado, mais uma vez, a “boa parceria” existentes entre os dois países e que deve continuar.

DR/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos