Primeiro-ministro diz que encontro do Sal significa um “momento bom” para Cabo Verde (c/áudio)

Santa Maria, 29 Mar (Inforpress) – O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, considera que o encontro no Sal de ministros dos Transportes e Turismo em África significa um “momento bom” para o país, já que Cabo Verde está a posicionar-se para receber “grandes fóruns”.

“Ontem, encerrámos um fórum sobre a saúde de abordagem regional africana, e hoje, no Sal, um outro muito importante relacionado com o sector dos transportes e turismo, que colocam Cabo Verde como uma boa centralidade relativamente a temas muito importantes para o desenvolvimento da África”, precisou o chefe do Governo.

Ulisses Correia e Silva fez essas considerações à imprensa momentos antes de encerrar a I Conferência Internacional sobre o Turismo e Transporte Aéreo em África que decorre na cidade turística de Santa Maria, na ilha do Sal.

Instado pela imprensa sobre o que pode avançar em relação a este encontro internacional, disse que a “aposta forte” no mercado único dos transportes aéreos deve constar das recomendações a sair deste evento.

Defende a “liberalização” do espaço aéreo africano, assim como investimentos com vista a “reduzir os riscos”, quer nos domínios da segurança, quer na organização e quer em termos de infra-estruturas para que os países africanos possam desenvolver o sector dos transportes aéreos.

Segundo o governante, hoje a África representa apenas um por cento da quota mundial de transportes aéreos, o que, na sua opinião, “é muito pouco”.

“Todos nós sabemos que as conectividades entre os países africanos são muito complicadas”, lamentou, acrescentando, porém, que há uma “aposta muito forte” para a criação de condições para que as ligações entre os Estados africanos sejam “mais facilitadas” e estes tenham um “posicionamento importante nos transportes aéreos”.

Na sua perspectiva, a operacionalização do hub aéreo no Sal depende muito de soluções que forem definidas para que se possa ter acesso ao mercado africano.

“O plano de desenvolvimento da Cabo Verde Airlines e do hub tem essa conexão, particularmente com países como Nigéria, Angola, Senegal e Costa de Marfim para podermos fazer transferência e distribuição de tráfego entre a Europa, África e as Américas”, realçou o primeiro-ministro, para quem Cabo Verde tem “todo o interesse em operacionalizar o conceito hub com a participação do continente africano”.

LC/FP

Inforpress/Fim

 

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos