Presidenciais’2021: Segurança e equilíbrio social na primeira mensagem de Fernando Delgado na Cidade da Praia

Cidade da Praia, 10 Out (Inforpress) – O candidato Fernando Delgado referiu-se hoje, na Cidade da Praia, à necessidade de os cabo-verdianos apostarem num jovem “sensível” para Presidente, capaz de, junto do Governo, ajudar a resolver a problemática da insegurança.

Delgado escolheu precisamente a zona de Tira Chapéu, tida como problemática, devido à insegurança, para dar início ao primeiro de quatro dias de campanha eleitoral na ilha de Santiago, onde disse ter constatado “problemas graves” neste e noutros domínios.

“O Presidente da República não governa, mas se for um Presidente que faz como eu, que em algum momento passa a ser um sociólogo, que vai ao terreno para se inteirar da situação da população, então, através do seu poder de influência junto do Governo, essas situações de insegurança diminuiriam consideravelmente”, concretizou o candidato.

Associado à insegurança referiu que vem o desequilíbrio social, em que os jovens, não só de Tira Chapéu, como disse, estão a reclamar que o montante que recebem por um dia de trabalho “é o mesmo há muitos anos”.

“Há necessidade, de facto, de todos juntos traçarmos estratégias para melhoramento do salário, por exemplo, porque o custo de vida aumenta e há necessidade de fazer acompanhar essa subida com o aumento do salário”, precisou, “sem falar”, continuou o candidato, da “subida brutal” do preço da energia eléctrica nos últimos dias.

Na jornada santiaguense de apelo ao voto, que se iniciou hoje no terreno, Fernando Delgado, à semelhança de outros pontos do País que já visitou, voltou a deparar-se, em Tira Chapéu, com pessoas desacreditadas na política, e com o detalhe de não acreditarem “sequer na mudança”.

“Mudança para caras novas é importante, o problema é mudar a cabeça do povo, que sobrevive com dificuldades, mas mesmo assim funciona como carneiro, todos vão atrás”, declarou um homem que o candidato abordou na subida para Tira Chapéu.

Fernando Delgado, em resposta, preferiu dar a sua explicação para aquilo que designou de altas taxas de abstenção, responsabilizando os dois candidatos apoiados pelos dois partidos do arco do poder de terem instalado a abstenção que “dificilmente será baixado”.

Sobre o debate de hoje, diz-se preparado, “e agora talvez mais”, porque o terreno lhe ofereceu “mais informações e argumentos” sobre determinadas situações, uma delas, referiu, sem levantar o véu, a questão do acordo de pesca com a União Europeia.

Na segunda-feira, 11, regressa à estrada com acções de campanha previstas para os concelhos do interior de Santigo.
Às eleições presidenciais do de 17 de Outubro nos dois círculos eleitorais, nacional e estrangeiro, concorrem sete candidatos: Fernando Delgado, Gilson Alves, José Maria Neves, Carlos Veiga, Hélio Sanches, Casimiro de Pina e Joaquim Monteiro.

As últimas eleições presidenciais em Cabo Verde ocorreram no dia 02 de Outubro de 2016, com três candidatos (Albertino Graça, Jorge Carlos Fonseca e Joaquim Monteiro). Venceu Jorge Carlos Fonseca na primeira volta para um segundo mandato, com 74% dos votos.

AA /JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos