Presidenciais’2021: Joaquim Monteiro em “contactos com o povo” em Salamansa e Baía das Gatas

Mindelo, 30 Set (Inforpress) – O candidato às eleições presidenciais de 17 de Outubro Joaquim Jaime Monteiro deslocou-se hoje à zona piscatória de Salamansa e também à Baía das Gatas, em São Vicente, para “contactos com o povo”.

Joaquim Jaime Monteiro, que se auto-intitula “candidato do povo”, disse que entra nessa luta, pela terceira vez consecutiva, para o bem desse grande povo cabo-verdiano e do País, que necessita de grandes transformações.

Por isso, revelou que, levou às zonas de Salamansa e Baía das Gatas o seu lema “Do povo, com o povo e para o povo”, através de uma “abordagem mais próxima” com os eleitores, mas “respeitando as recomendações sanitárias”, impostas pelas autoridades tendo em conta a pandemia da covid-19.

Aos eleitores, o candidato de 81 anos, o mais velho destas presidenciais, explicou o mote da sua candidatura cujo o objectivo é por “planificar, programar e unir Cabo Verde”.

“Cabo Verde, ao longo dos seus 46 anos de independência, não foi programado, planificado e há uma desunião na própria sociedade cabo-verdiana. E é este o meu desafio”, defendeu Joaquim Jaime Monteiro, para quem é preciso trabalhar para imprimir uma grande transformação no País para o bem de todos”.

Neste sentido, explicou que mesmo não tendo o poder executivo, o Presidente da República “tem um papel importante na busca de soluções para os problemas” de Cabo Verde, porque sustentou “todos os problemas como fome, miséria entre outros são equacionáveis”.

Com 21 anos, serviu o exército português, em Macau, juntamente com o antigo Presidente de Portugal, Ramalho Eanes. Desde os 18 anos, envolveu-se na política, denunciando a fome na sua ilha natal e manifestando-se contra os ideais do regime colonialista.

Enquanto militante na clandestinidade do então movimento libertador anticolonialista, PAIGC, Joaquim Jaime Monteiro esteve na Europa em missão partidária no final dos anos 60 para promover os objectivos da independência da Guiné-Bissau e Cabo Verde.

Depois da independência, desempenhou funções em Cabo Verde, na qualidade de director da escola de superação dos quadros do PAIGC, na altura.

Amante da meditação, o candidato fala além do crioulo e português, inglês e francês e tem ainda conhecimentos da língua norueguesa.

Nas presidenciais do dia 17 de Outubro concorrem sete candidatos – Fernando Delgado, Gilson Alves, José Maria Neves, Carlos Veiga, Hélio Sanches, Casimiro de Pina e Joaquim Monteiro.

As últimas eleições presidenciais em Cabo Verde ocorreram no dia 02 de Outubro de 2016, com três candidatos (Albertino Graça, Jorge Carlos Fonseca e Joaquim Monteiro), venceu Jorge Carlos Fonseca na primeira volta com 74% dos votos, para um segundo mandato.

CD/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos