Praga de Gafanhoto: Especialista aconselha instalação de um sistema de alerta agro meteorológica

Cidade da Praia, 24 Set (Inforpress) – O presidente da FUNDAG do Brasil, afirmou hoje que a instalação de um sistema de alerta agro meteorológica prevê o ataque de gafanhotos e o país terá melhores condições de prevenir e controlar a praga.

O dirigente da Fundação de Apoio à Agricultura (FUNDAG) do Brasil, Orivaldo Brunini, que falava aos jornalistas hoje, na Cidade da Praia, à margem do fórum internacional sobre “Clima/Variabilidade e Alterações Climáticas Impactos na Economia da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e em África”, avançou que durante um encontro com os responsáveis da ADAD teve a oportunidade de se inteirar desse problema que tem afectado agricultores da ilha de Santiago.

No caso da seca e das precipitações, disse que o adequado será fazer uma gestão mais adequada do solo, reduzir a evaporação da água do solo, com cultivo que permita com que essa exploração agrícola seja mais racional e adequada ao processo, culturas tolerantes a seca, utilização de plantas de culturas com raízes mais profundas e espécie agrícolas que tenham possibilidade de se adaptar ao processo.

“Tem de fazer uma adaptação do método metrológicos e agro metrológicos para se prevenir e controlar, uma vez que a seca está instalada você não combate, mas, adaptar aos métodos para reduzir esse impacto através de técnicas agronómicas, plantação adequado e escolha de solo”, acrescentou.

Orivaldo Brunini afirmou que teve a oportunidade de visitar a ilha de Santiago e constatou que o solo “é bom”, mas não tem chuva”, e defendeu que é necessário criar reservatório para irrigação nos períodos de maior demanda, em que não há água para cultura, e aposta na agricultura menos dependente em água.

Durante o evento, participa num painel em que irá debruçar-se sobre o impacto na agricultura devido à variabilidade/ alterações climáticas na CPLP.

Segundo avançou, a ideia é partilhar com os países da CPLP, e mostrar como devem utilizar informações climáticas e agro meteorológicas para fazer um processo de adaptação de cultura em função de cenários climáticos utilizando questões agronómicas como a gestão do solo, preservação dos recursos hídricos para permitir a sustentabilidade e dar o suporte na segurança alimentar.

“Nós temos um processo actual de aquecimento principalmente na restrição hídrica, e aqui em Cabo Verde, mais propriamente na ilha de Santiago, existe essa variabilidade de chuva” sublinhou

Promovido pelo Centro Internacional de Investigação Climática e Aplicações para a CPLP e África (CIICLAA), o fórum decorre até quinta-feira, 26, na Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) e pretende contribuir para uma resposta aos problemas da variabilidade/alterações climáticas e os seus impactos nos países da CPLP e, de uma maneira geral, de África

AV/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos