Presidente da República considera a língua o “pilar fundamental” da constituição da CPLP

Cidade da Praia, 23 Abr (Inforpress) O Presidente da República considera que a língua é o “ pilar fundamental” e a “razão de ser” da constituição da Comunidade dos Países de Língua Português (CPLP).

Na sua mensagem alusiva ao Dia Mundial da Língua Portuguesa, que se comemora pela primeira vez a 05 de Maio, Jorge Carlos Fonseca defendeu que ela, a língua portuguesa, é o “ corpo que se alimenta e contém, nos seus vasos, este idioma, através do qual expressamos a nossa forma particular de ver e de estar no mundo, pela voz e a pena de poetas e prosadores”.

Para o mais alto Magistrado da Nação, o futuro da língua portuguesa passa, “ em muito”, pela sua expansão fora da Europa, nomeadamente no continente africano e no Brasil.

“Nascida do galaico-português, na Idade Média, a língua portuguesa expandiu-se pelo mundo e hoje é falada em oito países, nos quatro continentes, por mais de 250 milhões de pessoas”, observou Jorge Carlos Fonseca na sua missiva.

Acrescentou que se passado fez do Português uma língua da primeira globalização, hoje, ela é das mais utilizadas na internet e nas redes sociais, o que lhe dá, segundo o Presidente da República, uma importância global e reforça o seu papel no futuro.

Enquanto presidente em exercício da CPLP, regozijou-se por este primeiro aniversário do Dia Mundial da Língua Portuguesa e apelou para que todos façam, no futuro, o 05 de Maio, um dia de múltiplas actividades e acções de promoção e divulgação deste idioma.

“Que possamos estabelecer uma rede de actividades, em várias cidades, juntando organismos estatais, particulares, escolas, institutos, e projectemos uma verdadeira Festa da Língua, com a participação de professores e escritores”, indicou.

orge Carlos Fonseca exortou igualmente que a língua portuguesa possa ser cada vez mais um instrumento de trabalho, nas organizações internacionais mais importantes, e que os jovens façam dela uma ferramenta essencial para a aquisição de conhecimentos e a sua formação como homens e mulheres, capazes de garantir um mundo melhor, mais livre, mais solidário e mais justo.

OM/JMV

Inforpress/ Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos