Portugal: “Ritmos e raízes” reúne comunidade cabo-verdiana no encontro intercultural com outras nacionalidades

Lisboa, 28 Out (Inforpress) – A comunidade cabo-verdiana de Cova da Moura esteve hoje num encontro intercultural “Ritmos e raízes”, em Brandoa, Amadora, com dança, batuque, gastronomia e artes, numa oportunidade de transmitir e partilhar a cultura cabo-verdiana com outras nacionalidades.

O encontro, organizado pela Associação de Solidariedade Social Alto Cova da Moura, (ASSACM), em parceria com o movimento Olhar da Diáspora Cabo-verdiana (MODCV), teve o apoio da Junta de Freguesia Encosta do Sol – Amadora e da Embaixada de Cabo Verde em Portugal.

Em declarações à Inforpress, a presidente da ASSACM, Vanda Carmo, explicou que a ideia da organização do evento surgiu pelo facto de se estar no mês da cultura, ritmos e raízes, justificando ser uma boa altura para fazer “um encontro de culturas” e mostrar a quem não é cabo-verdiano ou africano, essa cultura cabo-verdiana e outras nacionalidades, que caractericam o município da Amadora.

“A nossa associação está a celebrar 43 anos de existência, temos um centro de apoio aos imigrantes, e como estamos num bairro em que a maior parte da população sempre foi a cabo-verdiana, acabamos por ter sempre Cabo Verde na nossa associação, celebrando a cultura cabo-verdiana, o saber, os ritmos e os sabores várias vezes durante o ano”, frisou.

Por sua vez, o presidente da Junta de Freguesia Encosta do Sol – Amadora, Armando Domingos, indicou que a sua freguesia tem uma população multicultural e uma forte comunidade cabo-verdiana e o projecto de intervenção tem a ver muito com a cultura das populações que ali habitam, sendo que hoje foi a vez de Cabo Verde, numa freguesia que alberga pessoas de mais de 70 países

“É um intercâmbio que queremos fazer com as cidades cabo-verdianas, principalmente nas áreas da cultura, do desporto (…). Acho que Cabo Verde é o país africano mais europeu, que está muito perto de nós por todas as razões e é importante que ajude ao desenvolvimento e que as pessoas que estão a administrar os territórios em Cabo Verde sejam elas cada vez de pensamento mais europeu, porque é para o lado da Europa que estão virados”, frisou.

O último ponto do evento que decorreu durante todo o dia de hoje foi destinado a uma conferência sobre “A União Europeia e o apoio aos Países insulares – A importância dos projectos locais”.

Participaram na conferência os presidentes das câmaras municipais de São Domingos, Isaías Barreto, da Praia, Francisco Carvalho, e de Ribeira Grande de Santiago, Nelson Moreira, e o especialista em Assuntos Europeus, Carlos Medeiros.

DR/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos