Portugal: José Luís Hopffer Almada com mais cinco livros de poesias prontos a serem editados

Lisboa, 26 Out (Inforpress) – O escritor cabo-verdiano José Luís Hopffer Almada já tem mais cinco livros de poesias prontos e à espera que sejam editados, mas que têm que ser planeados juntamente com as editoras.

A revelação foi feita à Inforpress pelo próprio escritor que reside em Lisboa, que explicou que os livros não podem ser editados ao mesmo tempo, porque tem que dar tempo para que um seja divulgado no mercado, antes do próximo.

Neste sentido, José Luís Hopffer Almada que lançou o livro de poemas “Sombras”, no dia 04 de Outubro, em Lisboa, sob a égide da Rosa de Porcelana Editora e da US Edições, indicou que o próximo terá o título “Devastações de sombras”.

Na sequência, será a vez de “Exumações da terra e dos tempos da humidade da provação”, seguido de “Mulheres de verde”, depois “Veracidades”, e por fim “Pluricidades”.

José Luís Hopffer Almada, natural da ilha de Santiago, é jurista, ensaísta e poeta, tendo sido analista e comentador residente do “Debate Africando” da RDP-África durante mais de 20 anos.

Associado a diversas iniciativas culturais em Cabo Verde, como o Movimento Pró-Cultura (1986), o suplemento cultural Voz di Letra do jornal Voz di Povo (1986- 1987) e a revista Pré-Textos, foi director da revista Fragmentos (1987-1998), co-fundador da Spleen-Edições (1993), dirigente da Associação de Escritores Cabo-verdianos (1989-1992/1998) e co-fundador da Academia Cabo-Verdiana de Letras.

O escritor organizou “Mirabilis – de Veias ao Sol” (Antologia dos Novíssimos Poetas Cabo-verdianos (1998) e “O Ano Mágico de 2006 – Olhares Retrospectivos sobre a História e a Cultura Cabo-Verdianas” (2008).

Publicou ainda vários livros, como “À Sombra do Sol”, volumes I e II, (1990), “Assomada Nocturna” (1993), “Assomada Nocturna – Poema de Nzé di Sant’ y Águ” (2005), “Praia nas-Revisitações do Tempo e da Cidade” (2009), “Rememoração do Tempo e da Humidade (Poema de Nzé de Sant´y Ago)” (2015/2016), “Sonhos Caminhantes” (2017), “Germinações e Outras Restituições de Março” (2019) e “Deflagrações” (2021).

DR/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos