Portugal: Comunidade cabo-verdiana na Grande Lisboa comemora Nhô Santo Amaro em Monte Abraão (c/áudio)

Lisboa, 21 Jan (Inforpress) – A comunidade cabo-verdiana na grande Lisboa, sobretudo da ilha de Santiago, juntou-se hoje na igreja da Freguesia de Nossa Senhora da Fé, em Monte Abraão (Sintra), para a missa em honra de Nhô Santo Amaro.

A festa do santo padroeiro do Tarrafal comemorado a 15 de Janeiro, chegou hoje ao Monte Abraão, com uma missa presidida pelo padre Eliseu Gonçalves, da freguesia de Santo Amaro Abade que veio a Portugal para celebrar esta eucaristia que juntou centenas de pessoas.

Em declarações à Inforpress, a presidente da Capelania Africana em Lisboa (que engloba toda a diáspora africana), Celestina Spínola, mais conhecida por Silas, que organiza esta festa há 22 anos, explicou que desde a primeira vez a esta data, essa comemoração mudou “muito”, porque começaram só com uma missa que foi evoluindo até hoje com a participação também de juízes e juízas.

“Para o próximo ano penso que estaremos aqui todos com vida e saúde para que o amanhã seja melhor do que hoje. Para o próximo ano pensamos que há muitos aspectos que podemos melhorar e se o tempo ajudou como hoje, faremos uma boa festa”, perspectivou a tarrafalense Silas em Portugal há 25 anos.

A Inforpress também falou com alguns presentes na festa e todos foram unânimes em dizer que “correu bem”, desejando poder participar no próximo ano, alguns já com viagem marcada para Cabo Verde, para participarem nas festas no Tarrafal.

O embaixador de Cabo Verde em Portugal, Eurico Monteiro, que participou no evento, considerou que essa festa é um pouco da celebração do que os cabo-verdianos são, porque mesmo fora de Cabo Verde, onde quer que estejam, continuam a levar os valores tradicionais ligados à música ou outras manifestações tradicionais.

“Mas também levamos a nossa fé, a nossa crença e a nossa religião que faz parte daquilo que somos como povo. Levamos também este espírito do trabalho, do empenho e do comprometimento. Tudo aquilo que somos, incluindo a nossa fé e a nossa crença, levamos para todos estes sítios, um bocadinho de Cabo Verde”, considerou.

Para o embaixador, é importante aceitar os valores, as regras e os costumes que fazem parte dos países de acolhimento e arranjar uma forma de conviver pacificamente, o que só “prestigia e credibiliza” os cabo-verdianos, fazendo com que Cabo Verde fique mais conhecido e por boas razões.

Depois da missa que contou com as presenças dos presidentes da Câmara Municipal do Tarrafal, José Reis, da Assembleia Municipal do Tarrafal, Adilson Costa, do representante da Câmara Municipal de Sintra e outros convidados, a festa continuou com um almoço oferecido à comunidade.

DR/HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos