Porto Novo: Autarquia acredita na retoma das pozolanas em 2024 num investimento de 340 mil contos

Porto Novo, 28 Out (Inforpress) – A Câmara Municipal do Porto Novo disse hoje acreditar na retoma da indústria das pozolanas neste município, no âmbito da concessão feita, em meados deste ano, pelo Governo de Cabo Verde à cimenteira portuguesa Cimpor.

Um documento da edilidade porto-novense a que a Inforpress teve acesso garante que, no próximo ano, haverá a retomada desta indústria cimenteira por parte da empresa portuguesa, que anunciou um investimento de mais de 340 mil contos nas pozolanas do Porto Novo.

Para a câmara do Porto Novo, a retoma da indústria das pozolanas, paralisadas desde 2013, com o encerramento da unidade de produção pelos investidores que vinham explorando a cimenteira desde 2005, vai “dinamizar a economia local ”, devendo gerar entre 60 a 80 empregos.

Numa recente visita a Santo Antão, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, assegurou que o contrato de concessão para exploração da indústria das pozolanas no município do Porto Novo, assinado em Maio deste ano com a Cimpor, já está a ser executado.

A Cimpor tem 18 meses, a contar a partir da data da assinatura do contrato, para criar as condições para a produção de cimento pozolânico em Santo Antão com recurso a pozolanas para servir o mercado nacional e internacional, num investimento de mais de 340 mil contos.

Numa fase inicial, segundo o contrato de concessão, o investimento vai abarcar uma área de 108 hectares para a produção de cerca de meio milhão de toneladas de cimento por ano.

JM/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos