Porto Novo: Agricultores em Ribeira das Patas receiam que reordenamento da bacia hidrográfica volte a ser adiada

Porto Novo, 04 Mai (Inforpress) – Os agricultores em Ribeira das Patas, um dos maiores vales agrícolas da ilha de Santo Antão, dizem temer que o projecto de reordenamento dessa bacia hidrográfica, cujo arranque se previa, inicialmente, para 2019, volte a ser adiado.

Por causa da pandemia do novo coronavírus, o Governo já admitiu a necessidade de se proceder a uma reprogramação dos investimentos públicos no País, o que leva aos agricultores em Ribeira das Patas, no Porto Novo, a recearem que as intervenções em Ribeira das Patas venham a ser adiadas, uma vez mais, mas lembra que têm estado a aguardar, “há vários anos”, pelo projecto.

O representante da Associação para o Desenvolvimento Integrado da Ribeira das Patas, Arlindo Delgado, disse que os agricultores ainda não tiveram nenhuma notícia sobre a arranque do projecto de ordenamento dessa bacia hidrográfica, que considera “crucial” para o desenvolvimento dessa localidade.

Admite, porém, que a pandemia de covid-19, que “parou tudo” em Cabo Verde, possa condicionar os investimentos no sector agrícola em Ribeira das Patas, o qual tem estado em declínio, há vários anos.

O delegado do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) no Porto Novo, tranquilizou, recentemente, os agricultores em Ribeira das Patas, informando que o “dossiê” da bacia hidrográfica está a ser concluído para o arranque das intervenções.

Joel Barros, que falava a propósito das reivindicações dos agricultores da Ribeira das Patas quanto à “demora” no arranque do projecto de reordenamento dessa bacia hidrográfica, adiantou que o processo está a ser finalizado para que as obras possam começar a ser implementadas.

No concelho do Porto Novo, o MAA vai realizar obras nas bacias hidrográficas da Ribeira das Patas e Ribeira da Cruz/Jorge Luís, que vão incidir, numa primeira fase, na mobilização de água, recuperação de solos e na correcção torrencial.

O MAA garante estar a investir na Ribeira das Patas, designadamente na instalação da rega gota-a-gota, em resposta a uma revindicação dos agricultores locais.

Os projectos de reordenamento das bacias hidrográficas no Porto Novo devem contar com o financiamento do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e do Fundo Espanhol, através do programa de promoção das actividades socio-económicas rurais (Poser).

Em ambas as bacias, pretende-se priorizar, numa primeira fase, intervenções na mobilização de água, recuperação de solos e na correcção torrencial.

Até 2023, cerca de 300 mil contos deverão ser investidos no reordenamento das bacias hidrográficas em Santo Antão, ou seja, em Ribeira das Patas e Jorge Luís/Ribeira da Cruz (Porto Novo) e Garça (Ribeira Grande).

JM/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos