Parque Tecnológico é uma oportunidade para o desenvolvimento da economia digital no País – presidente

Cidade da Praia, 24 Set (Inforpress) – O presidente do conselho de administração do Parque Tecnológico considerou hoje que a materialização do projecto é uma oportunidade de desenvolvimento da economia digital, que aumentará o potencial de Cabo Verde a nível das tecnologias de informação.

Carlos Monteiro fez esta consideração à imprensa, à margem da quinta edição da universidade de verão do Movimento para a Democracia (MpD, poder), tendo como temas democracia e liberdades, desafios da educação e gestão da covid-19 e retoma económica.

O responsável, que participa num dos painéis, explicou que a ideia é transmitir informações sobre o Parque Tecnológico e mostrar o potencial que se quer materializar com o projecto.

“Queremos construir uma zona económica para as tecnologias que vai proporcionar oportunidades de emprego à juventude e, melhor ainda, a diversificação da nossa economia”, assinalou.

Segundo apontou, a covid-19 causou transtornos à economia nacional, por isso, afiançou, o Governo tem uma “visão clara” de que a economia digital é “um caminho para a retoma” e o Parque Tecnológico será “uma das ferramentas importantes”.

“Cabo Verde está muito bem cotado mundialmente, e a nível da sub-região africana, no que tange às tecnologias, estamos sempre no ranking da frente e temos um historial de exportações de serviços, nomeadamente para Guiné Equatorial, São Tomé e Príncipe, Moçambique, entre outros”, frisou.

Para Carlos Monteiro, com o parque e toda a estratégia digital do País, o objectivo passa por potenciar todas as oportunidades, principalmente dos jovens com projectos e que, devido a falta de condições, não conseguem desenvolver.

O arquipélago, assinalou, já está no processo de transição digital, indicando infra-estruturas capazes de dar respostas a este nível, como a Casa do Cidadão e o Nosi, assim como a implementação do certificado covid-19.

“O Parque Tecnológico vem neste alinhamento como um espaço melhor preparado para aumentar aquilo que já temos”, sublinhou.

De acordo com as informações avançadas pelo responsável, até o final deste ano alguns edifícios da estrutura estarão prontos, informando ainda que o montante do investimento é de 36 milhões de euros, mas que para as novas estratégias e ambições definidas, poderá atingir os 50 milhões de euros  com negociações junto ao Banco Africano de Desenvolvimento.

Para este ano, o programa formativo da universidade de verão MpD encontra-se dividido em quatro temas, nomeadamente, “Democracia e liberdades”, “Os desafios da educação e da transformação digital”, “A gestão da covid-19 e a retoma económica”, “Cidadania, participação cívica e liderança – do papel das organizações partidárias às questões do género”.

HR/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos