Papa diz que o que está a acontecer “não é uma guerra, é terrorismo”

Cidade do Vaticano, 22 Nov (Inforpress) – O Papa Francisco disse hoje que o que se passa em Israel e na Palestina “não é uma guerra, mas terrorismo”, depois de ter recebido familiares dos reféns israelitas detidos pelo Hamas e de palestinianos presos.

“Não esqueçamos de rezar na oração por aqueles que sofrem por causa das guerras em tantas partes do mundo, especialmente pelo querido povo da Ucrânia, de Israel e da Palestina”, apelou o Papa no final de uma audiência geral realizada na Praça de São Pedro.

O Papa disse que recebeu “duas delegações, uma de israelitas que têm familiares mantidos como reféns em Gaza e outra de palestinianos que têm familiares presos em Israel”.

“Eles sofrem muito e ouvi como sofrem uns e outros. As guerras fazem isso, mas aqui fomos além das guerras. Isto não é uma guerra, é terrorismo”, sublinhou.

“Rezem muito pela paz. Que o Senhor nos ajude a resolver os problemas e a não continuar com as paixões que no final matam a todos. Rezem pelo povo de Israel para que a paz chegue”, disse.

A reunião com o Papa aconteceu depois de o governo de Israel ter aceitado o acordo com o Hamas para a libertação de 50 pessoas raptadas na Faixa de Gaza, em troca da libertação dos prisioneiros palestinianos e de uma trégua de quatro dias.

O Qatar disse hoje que vai ser anunciado nas próximas 24 horas o início da trégua de quatro dias entre Israel e o movimento islamita Hamas, que prevê a libertação de reféns em Gaza e de prisioneiros palestinianos.

Telavive declarou guerra ao Hamas depois de o grupo islamita ter lançado um ataque contra Israel a 07 de Outubro, no qual morreram mais de 1.200 pessoas e 240 foram raptadas e levadas para Gaza.

Inforpress/Lusa

Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos