Ordem dos Médicos diz que classe tem sido tratada de forma “desonrosa” por órgãos de comunicação social

Cidade da Praia, 27 Ago (Inforpress) – A Ordem dos Médicos de Cabo Verde (OMC) reagiu hoje à forma “desonrosa”  como  a classe  tem sido  “insultada” nos órgãos de comunicação social e nas redes sociais, prometendo acções jurídicas contra as  informações “ofensivas e caluniosas”.

De acordo com o comunicado a que a Inforpress teve acesso, a OMC considera “lamentável” o conteúdo  de determinadas notícias veiculadas ultimamente por alguns órgãos de comunicação social nacionais e, também, nas redes sociais.

“Nos últimos meses, os médicos cabo-verdianos têm sido alvo de várias notícias que os responsabilizam pelo desfecho menos favorável dos pacientes”, lê-se no documento, acrescentando  “não ser aceitável” que  estes profissionais  e a medicina cabo-verdiana  sejam expostos nas redes sociais de “forma irresponsável, gratuita e sem qualquer fundamento”.

A OMC lembra que Cabo Verde é “respeitado em todo o mundo” pelos seus “ganhos” no sector da saúde, atingindo uma redução marcada de mortalidade materna, da mortalidade geral e infantil e cobertura vacinal de “quase 90 por cento (%)”.

Para a Ordem, a “forma desonrosa” como se tem exposto o médico “insulta e prejudica irremediavelmente este profissional” e tem “impacto negativo”, deixando-o “vulnerável e indefeso”.

Diante desta situação, a OMC apela aos seus membros a continuarem a cumprir as suas funções “sem receios”, com base na “maior evidencia cientifica disponível” e a “não se intimidarem  nas situações em que se sintam injustiçados”.

A OMC conclui a nota anunciando que vai agendar uma reunião com os responsáveis dos principais órgãos de comunicação social, Agência Reguladora da Comunicação Social (ARC) e  Entidade Reguladora de Saúde  (ERS) para analisar a forma como têm sido veiculadas certas notícias relacionadas com o exercício da medicina no país.

LC/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos