OE 2024: Economia cabo-verdiana deverá crescer 5% e inflação rondar os 3% – Vice-PM

Cidade da Praia, 02 Nov (Inforpress) – O Governo prevê o crescimento da economia cabo-verdiana em 2024 entre 4.7 e 5%, uma inflação a rondar os 3%, um défice público em 2.9% e a dívida pública situar-se nos 110% do Produto Interno Bruto (PIB).

Estes dados foram revelados hoje a tarde pelo vice-primeiro-ministro e ministro da Finanças, Olavo Correia, durante a sua audição parlamentar sobre Orçamento do Estado para 2024 (OE 2024) à Comissão Especializada de Finanças e Orçamento (CEFO), onde perspectivou uma boa capacidade de arrecadação de impostos, à volta dos 19% do PIB.

Considerando que o executivo “vai continuar a trabalhar no sentido de implementar reformas que aumentem o potencial do crescimento da economia cabo-verdiana”, o ministro apontou que o OE 2024 está projectado para atingir a estabilidade de rendimentos, da moeda, e macroeconómica.

A protecção aos mais vulneráveis, sublinhou, afigura-se ainda no quadro dos objectivos para 2024, bem como reformas ao nível do sector energético, revolução digital nos governos central, municipal e nos mais diversos sectores da actividade económica, para atingir o nível de excelência, reformas do capital humano, do incentivo e investimento ao sector empresarial privado.

“Nós estamos a trabalhar precisamente para que o plano da retoma possa ser acelerado. Temos mais de seis milhões de contos para injectar na economia cabo-verdiana, com taxa de juros à volta de 4,5% e com condições em termos de prazos e de período de carência acessíveis para que mais empresas possam aceder ao financiamento”, anunciou o governante.

Olavo Correia elencou, ainda, medidas ao nível do ecossistema, visando incentivar o acesso ao empreendedorismo jovem e mulheres, que almejam aprender, mediante o incentivo ao acesso ao financiamento, mas também reformas ao nível do sector privado, através da redução da tributação de pessoas colectivas em um ponto percentual para que possa atingir 20% em termos de incidência em 2025.

Combate à burocracia, funcionamento do mercado, quadro regulatório e o funcionamento global da economia foram enumerados pelo vice-primeiro-ministro como um conjunto de medidas adoptadas ao nível da reforma do sector privado para melhorar o aumento de negócios e o clima de investimentos.

Relativamente à reforma ao nível do funcionamento das instituições, apontou também combate às burocracias, de modo que o Estado seja capaz de empoderar o sector privado, facilitar investimentos e captar investimentos para os mais diversos sectores das actividades económicas.

“Estas reformas terão de ser capazes de fazer duplicar o potencial de crescimento da economia cabo-verdiana. E nós pensamos que o Orçamento do Estado está voltado para garantir, no fundo, essas reformas e podermos, nos próximos anos crescer, muito acima dos 4% e atingir progressivamente a fasquia dos dois dígitos.

O Orçamento do Estado para o ano económico de 2024, esclareceu o governante, foi preparado para garantir a estabilidade e melhoria de rendimentos, impulsionar reformas, proteger os mais pobres e os menos possidentes, face aos impactos aos choques do contexto externo e interno.

O OE 2024 está estimado à volta de 86 mil milhões de escudos cabo-verdianos, sendo que 83% é financiado pelos recursos endógenos.

SR/CP
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos