O reconhecimento dos farmacêuticos já existe – ministro da Saúde

Cidade da Praia 30 Abr (Inforpress)- O ministro da Saúde e Segurança Social, Arlindo do Rosário, disse hoje aos jornalistas que já existe o reconhecimento dos farmacêuticos enquanto profissionais da saúde, principalmente da parte da sociedade.

Arlindo do Rosário falava aos jornalistas à margem da tomada de posse da nova bastonária da Ordem dos Farmacêuticos de Cabo Verde (OFCV), Marcília Fernandes, e da sua equipa constituída pela vice-presidente, Ester Gonçalves, a secretária Alexandrina Alves, a tesoureira, Carla Vaz, entre outros membros.

Conforme o governante, esse reconhecimento já existe porque a sociedade sabe qual é importância do farmacêutico nos serviços de saúde e entende o medicamento como um bem essencial para o tratamento das pessoas e necessitam também do farmacêutico.
Conforme o ministro, agora deve-se traçar novos desafios que levarão necessariamente à consolidação de todo o trabalho que a OFCV vem fazendo em Cabo Verde.

“O que nós devemos fazer é traçar desafios, nomeadamente a nível da farmácia hospitalar, dotar os hospitais regionais e centrais de farmacêuticos e a nível da regulação que estamos a criar agora, caso da tomada de posse da Entidade Reguladora da Saúde (ERIS) que irá fazer aquilo que a ARFA vinha fazendo, mas também complementar com os cuidados médicos”, defendeu Arlindo do Rosário.

Falando concretamente sobre a nova direcção, o ministro da Saúde e da Segurança Social disse que espera que os trabalhos corram da mesma forma que correram com a equipa cessante que fez “um trabalho muito bom e abnegado” a favor de uma ordem “que está a dar os seus primeiros passos.”

“Esse trabalho tem sido de consolidação da ordem como parceira social importante do ministério da Saúde. Tivemos oportunidade de trabalhar conjuntamente e ultrapassar os desafios, nomeadamente a questão da política nacional de medicamentos que foi possível actualizar”, disse

Adiantou que ordem já aprovou e já foi aprovado também pelo ministério da Saúde, todo o código deontológico, acrescentando que a OFCV não se resume apenas aos serviços farmacêuticos nas estruturas de saúde, mas que tem um âmbito maior que se alarga para a produção de medicamentos, distribuição e a regulação.

CD/JMV

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos