Na “ora di bai”: Representante da OMS “emocionado” com condecoração por parte do Presidente da República

Cidade da Praia, 30 Mai (Inforpress) – O representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Cabo Verde, Mariano Castellón, manifestou-se hoje “emocionado”, após ser condecorado pelo Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca.

“São emoções tão… intensas. Estou surpreendido, estou agradado”, começou por dizer aquele responsável em declarações após o acto, para, em seguida, afirmar que é uma distinção que toma, não só em seu nome, mas também em nome da Organização Mundial da Saúde e também da sua equipa de trabalho em Cabo Verde e em nome da região africana da OMS.

Mariano Castellón classificou a distinção como um “merecimento” que o Presidente da República teve a “gentileza” de o entregar, que, de certa forma, significa que fez o seu trabalho de pé e em “ombros de gigantes”.

“Por isso que o nosso trabalho em Cabo Verde tem esta amostra de apreço tão extraordinário”, frisou o representante da Organização Mundial da Saúde, relembrando que a organização trabalha em Cabo Verde desde o ano de 1977 e que junto com o governo e a sociedade civil tem investido para o desenvolvimento da saúde no arquipélago em três grandes dimensões.

São elas, citou, a cobertura sanitária universal, em que, afirmou, Cabo Verde é um exemplo dentro da região africana, na preparação e na resposta do país ante as emergências sanitárias e também no âmbito da promoção da saúde.

“Eu acho que o nosso contributo, como agência especializada, tem sido lançar a saúde dos cabo-verdianos para frente, mas eu gostaria de sublinhar que também trabalhamos de mãos dadas com outras agências do Sistema das Nações Unidas e também com outros parceiros da comunidade internacional, tanto bilateral, como multilateral”, acrescentou.

Todo este trabalho, referenciou, é para que, em conjunto, poderem oferecer para Cabo Verde o suporte que precisa para seguir neste “bom caminho” de desenvolver a saúde dos cabo-verdianos e fazer da saúde um contributo para o desenvolvimento socioeconómico.

Mariano Salazar Castellón termina agora o seu mandato após cinco anos de funções em Cabo Verde.

GSF/JMV
Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos