Mulheres rurais assumem-se como protagonistas no cultivo e fundamentais para promover agricultura familiar

Cidade da Praia, 15 Out (Inforpress) – As mulheres rurais assumem-se hoje como protagonistas no cultivo e fundamentais para promover a agricultura familiar, em oposição à ideia antiga de que eram apenas ajudantes, disse hoje a vendedora do mercado da Praia, Antónia Borges Semedo.

Antónia Borges Semedo, mais conhecida por “Codé”, 70 anos de idade, residente em São Domingos, é uma das vendeiras no sector de leguminosas, disse à Inforpress que “as mulheres têm conquistado cada vez mais o seu espaço de direito, principalmente no campo”.

A vendedora, que labuta no mercado da Praia há cerca de 40 anos, respondia à reportagem da Inforpress no Dia Internacional da Mulher Rural que se celebra hoje, 15, instituído pelas Nações Unidas, em 1995, com o objectivo de sublinhar a importância que a mulher rural tem na comunidade onde está inserida, bem como o seu papel na actividade agrícola e no sustento familiar.

Janira Ramos de Pina Miranda disse à Inforpress que há um ano e meio vem vendendo frutas no mercado da Praia mas desloca-se de Monte Negro, onde reside, à Cidade da Praia à procura do ganha-pão para sustentar os filhos.

Esta chefe de família disse que é obrigada a deslocar-se à capital porque na sua localidade não tem como ganhar o sustento.

O Dia Internacional da Mulher Rural foi instituído pela ONU em 1995 e tem como objectivo elevar a consciência mundial sobre o papel da mulher no campo.

De acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), as mulheres constituem 40% da mão de obra agrícola nos países em desenvolvimento.

“As mulheres têm enfrentado barreiras estruturais ou de discriminação social e pobreza, no acesso à educação e aos cuidados de saúde”, enfatiza a OIT, acrescentando que a mulher rural representa um exemplo de vida e resistência na adversidade.

AT/LC//HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos