Miopia e baixa visão são as principais preocupações da saúde ocular em Cabo Verde – especialista

Cidade da Praia, 10 Jul (Inforpress) – A miopia continua a ser uma das principais preocupações em termos de saúde ocular em Cabo Verde, a par das alergias, conjuntivites e baixa visão, revelou hoje à Inforpress a coordenadora do Programa Nacional de Saúde Ocular.

Isabel Tavares, especialista em oftalmologia, falava à Inforpress por ocasião da celebração do Dia Mundial da Saúde Ocular, que assinala esta quarta-feira, tendo, a esse propósito, alertado a população cabo-verdiana para a necessidade de se preocupar e dar “mais atenção aos cuidados com os olhos”.

Segundo a especialista, o cuidado com os olhos tem de ser ensinado e posto em prática desde bem cedo às crianças, com consultas periódicas para que ninguém tenha surpresas com doenças que podem ser evitáveis.

Entretanto, realçou que dados do Censo de 2010, indicam a existência no País de 13 mil pessoas com deficiência visual, enquanto que rastreios das deficiências visuais no quadro do Programa Escolas Promotoras da Saúde diagnosticaram no ano 2012/2014, a existência de um número significativo de crianças com problemas de visão.

“Apesar desses números, podemos dizer que o país melhorou consideravelmente em termos de saúde ocular. A cegueira é o nosso principal problema e a sua causa em Cabo Verde são as cataratas, mas hoje já é possível evitar esse problema com cirurgias”, afirmou.

Não obstante, considera que um dos obstáculos no rastreio e realização de consultas e cirurgias de catarata, tem a ver com a dispersão geográfica do país, visto que em várias ilhas as pessoas não têm possibilidade de acesso às consultas para poderem agir na prevenção.

A esse propósito, lembrou que no quadro das doenças oculares surgem problemas refractivos e sobretudo a glaucoma, que é uma doença ocular grave e silenciosa que só pode ser diagnosticada por especialistas.

Isabel Tavares referenciou também a retinopatia diabética como a principal causa de perda de visão entre pessoas com idade activa, sublinhando que ela é também uma doença silenciosa que costuma se revelar em estado avançado, quando a cegueira é iminente.

“A prevenção é fundamental para diagnosticar e tratar doenças e evitar qualquer perda visual. Muitas doenças oculares são pouco perceptíveis em estágios iniciais ou só se manifestam em estágios graves”, explica a especialista lembrando que o lema sob o qual se assinala hoje a efeméride é “Saúde Ocular para Todos”.

Para assinalar a efeméride, o Programa Nacional de Saúde Ocular promove hoje em simultâneo com outros centros com médicos oftalmologistas, uma palestra de cariz promocional sobre os cuidados que devamos ter com os olhos.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) estimam que a cegueira afecta 39 milhões de pessoas e que 246 milhões sofram de perda moderada ou severa da visão.

De acordo ainda com a OMS, mais de 75% dos problemas visuais poderiam ser evitados ou curados se diagnosticados precocemente.

Além dos exames de rotina a OMS recomenda a prática de hábitos e cuidados, visto que uma boa parte das doenças nos olhos, é causada pelo tempo, ou por uso indevido de produtos, sem consulta médica.

PC/FP

Inforpress/Fim

 

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos