Ministro garante que arranque do ano lectivo decorre com “muita tranquilidade e serenidade” 

Mindelo, 21 Set (Inforpress) – O ministro da Educação, Amadeu Cruz, assegurou hoje, no Mindelo, que o arranque do ano lectivo decorre “muita tranquilidade e serenidade”, devido a um trabalho de planificação e do envolvimento dos professores e dos dirigentes do ministério.  

Segundo o governante, que hoje visitou algumas escolas, em São Vicente, nesta primeira semana do início das aulas ainda não foi registado “nenhuma situação de anormalidade”.

Neste momento, continuou, já funcionam os serviços de cantinas e de transporte dos alunos, e os manuais “já estão disponíveis”.

“Estamos no arranque do ano lectivo com muita tranquilidade e serenidade e isto deve-se essencialmente a um trabalho de planificação, por um lado, mas deve-se também ao envolvimento, especialmente dos professores, dos funcionários e dos dirigentes do Ministério de Educação”, considerou Amadeu Cruz, à imprensa, apesar de admitir “uma ou outra situação que pode ser melhorada”.

O ministro disse esperar que este ano seja “um ano bom” para os alunos, embora a pandemia ainda não esteja de todo controlada.

“Mas, vamos cumprir todas as regras e, caso houver motivos, podemos tomar medidas de contingência e evitar que escolas sejam locais de transmissão da covid-19”, sustentou a mesma fonte, congratulando-se com a “adesão em massa” dos professores à vacinação, sendo que “São Vicente tem 95 por cento (%) e Cabo Verde, no geral, tem cerca de 88% dos professores inoculados” com pelo menos com uma dose da vacina da covid-19.  

Questionado ainda sobre a possibilidade de reforço de aulas e de alargamento destas aos sábados, Amadeu Cruz referiu-se à antecipação do início do ano lectivo, por cerca de 15 dias, e da redução das férias intercalares para a recuperação de alguns conteúdos 

Mas, por outro lado, informou a mesma fonte, está a decorrer a avaliação dos alunos para se saber se há necessidade ou não de determinar planos específicos de aprendizagem.  

“Os pais podem ficar sossegados, porque o Ministério de Educação, particularmente os professores, estão empenhados na recuperação das matérias para que os nossos alunos, no final deste ano lectivo, estejam em condições de transitar com a matéria toda e em condições normais”, garantiu.  

O ministro da Educação disse que em São Vicente não se prevê o alargamento das aulas aos sábados para o Ensino Básico Obrigatório, mas, na Cidade da Praia, que iniciou o ano lectivo transacto com algum atraso devido à pandemia, está-se a fazer a avaliação e vai-se tomar uma decisão até finais de Outubro.  

“No resto do País, tivemos um funcionamento quase normal no ano passado e este ano não prevemos o alargamento das aulas aos sábados”, finalizou.  

LN/AA 

Inforpress/Fim 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos