Ministro desafia novo inspector-geral das Finanças a reforçar capacidade inspectiva da instituição  

Cidade da Praia, 27 Set (Inforpress) – O vice-primeiro ministro e ministro das Finanças e Fomento Empresarial empossou hoje o novo inspector-geral das Finanças, a quem desafiou a reforçar a capacidade inspectiva da instituição e apostar na “melhoria contínua” da qualidade do serviço prestado. 

Durante a cerimónia de empossamento, que decorreu na Cidade da Praia, Olavo Correia recordou que os desafios são “cada vez maiores” e realçou a importância de a Inspecção-geral das Finanças (IGF) estar na linha da frente de uma governança pública e moderna, assente na prestação de contas e na avaliação regular do desempenho na “transparência e na orientação essencial” para servir os utentes. 

“Convidamos e desafiamos a nova direcção e todos os funcionários a levantarem a sua ambição, motivação sobretudo nessa fase difícil de pandemia e pós pandemia que o país esta a enfrentar, e a alinharem-se com a ambição de Cabo Verde apostando no planeamento estratégico, na formação permanente dos recursos humanos e a adoptarem as melhores práticas”, referiu 

O governante disse que a IGF deve vincar cada vez mais a sua autonomia e independência, a adoptar as tecnologias de informação no acesso a informação, mas também na divulgação dos relatórios de controle para o público possa acompanhar as suas actividades sobretudo das instituições que fazem parte do perímetro do Estado. 

Olavo Correia desafiou ainda a nova equipa a reforçar a capacidade inspectiva da instituição, com técnicos qualificados, com seguimento e metodologias que permitam fiscalizar toda a situação orçamental e financeira, mas também a forma como os recursos do estado estão a ser utilizados. 

Por outro lado, quer que a IGF seja pedagógica no sentido de evitar erros, omissões e alerte as instituições para as suas correcções e caso verificar situações que possam configurar crimes sejam relatadas e reportadas as instituições competentes para o devido efeito. 

Afirmou que é necessário o envolvimento de todas as instituições superiores de controle para ter um sistema forte e a funcionar e que garanta a eficácia na utilização dos recursos públicos, mas também garanta a transparência. 

“O sistema está a funcionar, mas temos de melhorar e ter quadros cada vez mais capacitados, metodologias cada vez mais alinhadas com as melhores práticas, aprimorar o funcionamento da IGF e criar as condições para darmos um salto em relação a aquilo que foi feito até agora e que foi entregue pela equipa cessante”, apontou. 

Por seu turno, o novo inspector-geral das Finanças, Domingos Lopes, prometeu trabalhar com “empenho e profissionalismo” e tudo fazer para “um melhor e maior controle da actividade financeira” do Estado, continuando a “promover a legalidade, regularidade e boa gestão dos recursos públicos”. 

“Queremos assumir aqui perante os presentes que estamos determinados em elevar o nível de engajamento e motivação para juntos vencermos os desafios que se apresentam, principalmente neste momento de contenção, o que se impõem ainda mais a necessidade de racionalização dos escassos recursos que o país dispõe”, apontou. 

A ideia é fazer com que a IGF seja reconhecida como uma referência nacional no universo das entidades dedicadas ao controle financeiro tendo por ambição melhorar continuamente os processos no sentido de levar a qualificação e especialização dos seus recursos humanos visando alcançar excelência dos resultados na geração de valores que cria para os clientes. 

AV/AA 

Inforpress/Fim 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos